Transporte coletivo de Blumenau deve ter novas paralisações em Blumenau nesta semana

Passado o carnaval, a ressaca pode vir em Blumenau com novas paralisações como a feita no dia 14 de fevereiro, quando cerca de 10% do serviço foi suspenso, atingindo especificamente o Terminal da Fonte.

O alerta é do Sindetranscol, sindicato dos trabalhadores do transporte coletivo, que busca a finalização do acordo da convenção coletiva – de novembro do ano passado -, hoje em discussão na Justiça do Trabalho.

“Suspendemos nosso calendário de paralisações na semana passada em respeito à população, porque não queremos greve e sim negociação. Apostamos numa retomada do diálogo, que não aconteceu. Enquanto o prefeito não autoriza a CATRACA-LIVRE, continuaremos com nossas mobilizações e, já comunicamos, que nesta semana retomaremos as paralisações”, diz o sindicato em suas redes socais.

Com a omissão da empresa, as críticas se concentram na administração municipal, em especial ao prefeito Mário Hildebrandt e no secretário de Trânsito e Transporte, Eder Boron, que deram a cara para bater e foram para a imprensa criticar a postura dos trabalhadores e, por consequência, defender a Blumob, que não se manifesta.

A nova modalidade de pressão é pedir ao prefeito que autorize que os ônibus funcionem com catraca livre, um pedido que obviamente é feito para gerar impasse, pois nem Mário Hildebrandt e nem outro administrador autorizaria tal situação.

O sindicato alega que os números apresentados à imprensa são distorcidos, que a empresa tem lucro, recebe antecipadamente 70% do faturamento com a venda dos cartões e que o custo dos salários não é tão pesado assim no faturamento global, leia mais aqui.

Lembrando que a Blumob pagou para os trabalhadores a reposição do INPC, 2,55%, mas o que pega são cláusulas trabalhistas do acordo.

 

1 Comentário

  1. Cláusula trabalhista não se discute , cumpre-se …mas onde tem sindicato, as coisas mudam .

Deixe uma resposta