Trabalhadores do transporte coletivo de Blumenau anunciam greve

Foto: Arquivo/Informe Blumenau

Como era esperado, os trabalhadores do transporte coletivo de Blumenau aprovaram na manhã desta quinta-feira, 3, o indicativo de greve a partir do fim da tarde de domingo.

Foto: Alexandre Gonçalves/Informe Blumenau
Foto: Alexandre Gonçalves/Informe Blumenau

Outra assembleia acontece a tarde, mas não mudará a decisão. Na negociação da convenção coletiva, as cláusulas econômicas estão acertadas entre as partes, mas o impasse diz respeito a jornada de trabalho. Desde 2007 há um acordo, respaldado pelo Ministério Público do Trabalho, que garante 42 horas semanais para todos.  Segundo o Sindetranscol, apenas o pessoal do administrativo e da manutenção da empresa Glória não cumpre esta carga.

A proposta apresentada pelo Consócio Siga ( leia-se Prefeitura) para a categoria na semana passada, aprovada em três assembleias, não mexia com o horário dos trabalhadores ( veja o detalhe abaixo). Mas quem está a frente da intervenção mudou de opinião e disse que a proposta é de 44 horas semanais. As duas empresas menores, Rodovel e Verde Vale, concordaram com a jornada reduzida.

A categoria aprovou a proposta original, formalizou o documento e encaminhou para o Setpesc, o Sindicato das Empresas, para a assinatura, que não aconteceu por parte dos interventores. Ou seja, a proposta aprovada em assembleia foi recusada e os usuários do transporte coletivo vão sofrer mais uma vez com o impasse.

Durante toda esta quarta-feira, os representantes da Prefeitura preferiram o silêncio. No fim da manhã, o presidente do Seterb, Carlos Lange, deu um jeito de ganhar tempo, afirmando que é preciso saber a posição dos trabalhadores no encontro da tarde. Falou que a Glória ( os interventores, no caso), fez uma melhor avaliação da carga horária e por isso não assinou a convenção coletiva.

Segue abaixo um trecho da fala do assessor jurídico, Léo Bittencourt, logo ao final da assembleia da manhã.

 

2 Comentário

  1. Este é o resultado da falta de fiscalização do SETERB, a indicação de pessoas sem conhecimento em transporte público para a intervenção e também no SETERB .O poder público tem por costume indicar apadrinhados políticos para cargos que exigem conhecimento técnico e experiência, enquanto isto ocorrer , a bagunça jamais vai terminar . Este é o choque de gestão prometido em campanha ?

  2. O comando avançado prussiano chegou, finalmente, ao campo de batalha depois das 19 horas. Para Napoleão, era evidente que tinha de tomar uma decisão e ordenou a sua combativa Guarda Imperial a atacar. A nova arma de destruição em massa atingiu os franceses em cheio. Para piorar a situação das tropas napoleônicas, as prussianas chegaram pouco depois das 20 horas.

    Qualquer semelhança é mera coincidência : Comando avançado prussiano ( Sindestrancol) , Campo de batalha ( SIGA) , Guarda Imperial ( Interventores) , arma de destruição em massa (Greve) , Franceses (blumenauenses) .

Deixe uma resposta