SINDILOJAS critica orientações do Estado para enfrentamento ao coronavírus em Blumenau

Arte: divulgação

O Sindilojas emitiu um comunicado onde critica a  nota do Governo do Estado sobre a necessidade de algumas regiões, entre elas o Vale do Itajaí, para que apenas serviços considerados essenciais funcionassem, por conta da circulação do Coronavírus.

Segue:

O SINDILOJAS critica as determinações do governo do Estado para enfrentamento ao coronavírus em Blumenau

O SINDILOJAS Blumenau mantém o diálogo com a prefeitura para diminuir as restrições de funcionamento nos estabelecimentos do Comércio e dos Serviços no município, que até o próximo dia 10 de agosto, só podem abrir as portas das 10h às 17h e precisam permanecer fechados nos sábados e domingos.

No próximo dia 9, será comemorado o Dia dos Pais, data de fundamental importância para o varejo. Os empresários lojistas já temem grandes prejuízos frente aos horários pouco flexíveis para as compras alusivas à data.

Outra questão que incomoda o setor são as determinações do Centro de Operações em Emergência em Saúde, vinculado ao governo do Estado. O Centro avalia como muito ruim a taxa de isolamento atual do Médio Vale do Itajaí, de 49,09%, estimada levando em consideração o deslocamento de celulares.

Para que haja interrupção significativa na circulação viral na região, o Ceos defende que este percentual deve ser superior a 60%. E tem pressionado os municípios da região para que suspendam o funcionamento das atividades comerciais não essenciais como academias, shopping centers, bares, restaurantes e comércio em geral.

Além disso, o Ceos pede pela suspensão das atividades presenciais e os serviços públicos não essenciais, no âmbito municipal, estadual e federal, que não puderem ser realizados por meio digital ou mediante trabalho remoto; a suspensão da entrada de novos hóspedes no setor hoteleiro; e a suspensão de eventos e reuniões de qualquer natureza, de caráter público ou privado, incluídas excursões, cursos presenciais, missas e cultos religiosos.

“Não é criando dificuldades para o comércio e os serviços do Médio Vale que o governo do Estado vai enfrentar a Covid-19. O Centro de Operações em Emergência em Saúde parece não saber o que está acontecendo nos estabelecimentos do setor hoje, com clientela muito diminuída e um grande cuidado com as medidas de higienização e prevenção. Cria-se uma pressão contra os municípios desnecessária. Afinal, todos já sabem que o fundamental é inibir as festas particulares e aglomerações, que continuam acontecendo apesar de todo o esforço de fiscalização”, destaca o presidente do SINDILOJAS Blumenau, Emílio Rossmark Schramm.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta