Secretário da Cultura é demitido após discurso semelhante ao de ministro de Hitler

Foto: Agência O Globo

O presidente Jair Bolsonaro exonerou nesta sexta-feira, 17, o secretário nacional da Cultura, Roberto Alvim, que fez um discurso no qual usou frases semelhantes às usadas por Joseph Goebbels, ministro da Propaganda de Adolf Hitler durante o governo nazista. Goebbels era antissemita radical e foi um dos idealizadores do nazismo.

Assim como Goebbels havia afirmado em meados do século XX que a “arte alemã da próxima década será heroica” e “imperativa”, Alvim afirmou que a “arte brasileira da próxima década será heroica” e “imperativa”. (Compare os discursos abaixo).

Em nota, Bolsonaro afirmou que a permanência de Alvim no governo ficou “insustentável”.

“Comunico o desligamento de Roberto Alvim da Secretaria de Cultura do Governo. Um pronunciamento infeliz, ainda que tenha se desculpado, tornou insustentável a sua permanência”, afirmou Bolsonaro.

O presidente disse ainda que repudia ideologias “totalitárias e genocidas”.

“Reitero nosso repúdio às ideologias totalitárias e genocidas, bem como qualquer tipo de ilação às mesmas.Manifestamos também nosso total e irrestrito apoio à comunidade judaica, da qual somos amigos e compartilhamos valores em comum”, completou o presidente.

Os discursos:

Roberto Alvim: “A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional, será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional, e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes do nosso povo – ou então não será nada”.

Joseph Goebbels: “A arte alemã da próxima década será heroica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada”.

Fonte: G1

1 Comentário

  1. Doravante ouvir Ludwig Van Beethoven , Johannes Brahms , Wolfgang Amadeus Mozart e Richard Straus poderá ser considerado “ideologias totalitárias e genocidas, bem como qualquer tipo de ilação às mesma” ?

    Pergunto porque Hitler ,Goebbsels a Guestapo e a SS ouviam estes compositores .

    Em um país que existem milhares de pessoas e políticos que idolatram Che Guevara e Fidel Castro , a demissão do secretário é uma piada .

    A frase utilizada por ele esta no campo de ” Associação linguistica” , isto não significa que o mesmo apoie o nazismo .

    Mas quem sabe , daqui a 60 anos falar ou escever “#LULALIVRE# também seja considerado
    algo infeliz , tomara .

Deixe uma resposta