Projeto de revitalização do Aeroporto Quero Quero é pauta da Acib

Foto: divulgação ACIB

Representantes do Comitê em Prol do Aeroporto Regional de Blumenau (Copraer) participaram da reunião de Diretoria da Acib na última segunda-feira e apresentaram alguns pontos sobre o projeto de revitalização do aeródromo.

Estiveram presentes o presidente do Copraer, Andrey Otavio Tomazi; o coordenador do Copraer, Cesar Wolf; o secretário de Planejamento Urbano da PMB, Ivo Ronald Bachmann Jr; o diretor da Acib para Assuntos de Desenvolvimento e Planejamento Urbano, Marcos Zata Borges; e o diretor Jurídico do Seterb, Marcello Schiliró.

O presidente da Acib, Avelino Lombardi, destacou a importância do Quero Quero para área de saúde, especialmente, para o setor de transplantes. “O aeroporto nunca teve um alinhamento tão grande, são 18 entidades que concordam sobre sua importância”, acrescentou Tomazi.

Durante a reunião, foi apresentado o TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) firmado pelo prefeito de Blumenau Mário Hildebrandt para em 12 meses (até janeiro de 2020) concluir o projeto de zoneamento do aeródromo para ser homologado na classe definida. A primeira etapa, segundo Schiliró, foi cumprida na metade do tempo previsto, ou seja, em três meses; e contempla apenas “o papel”, com um plano que prevê ações como o muramento e outras questões como poda de árvore ou a mudança de local de um poste.

“Para homologar o aeroporto em Classe 1, que inclui aeronaves como o Arcanjo, aeronaves da escola de aviação, está tudo de acordo. Para a Classe 2, são necessárias algumas mudanças. Mas, não há mais nenhum risco de interdição”, destacou Schiliró, apontando que o desejo é homologar Classe 2 ou 3. Para vôos comerciais seria necessária a homologação Classe 4, mas, para isso são necessárias muitas outras mudanças, explicou Tomazi.

Ivo falou que coube à Seplan o cercamento e o projeto de transposição da rua Franz Volles, para o qual está sendo feito um amplo trabalho topográfico, hidrográfico, de georreferenciamento e de desapropriações da região. “Já temos R$ 300 mil reais para estes projetos e R$ 1 milhão destinados ao cercamento do sítio aeroportuário em si, que não incluem as desapropriações necessárias para o desvio da Franz Volles”, revelou.

Os recursos na ordem de 2 a 2,5 milhões de reais para o balizamento noturno ficam sujeitos à conclusão do projeto de cercamento e afastamento da Franz Volles com projeto executivo elaborado. A expectativa do secretário é que este projeto seja entregue em quatro ou cinco meses.

Fonte: assessoria de imprensa ACIB

1 Comentário

  1. Pura ilusão da Copraer a intensão de voos comerciais classe 3 e 4. Quase uma insanidade falar desse objetivo! O aeroporto definitivo de Blumenau é Navegantes a apenas 55 Km de distância, simplesmente porque Não Há Espaço Físico no sítio de Blumenau. O que falta para ambas as cidades se conectarem é uma linha metroviária moderna e rápida entre os dois pontos. Tanto a Siemens como o Banco dos BRICS via China poderiam tocar a obra e tudo ficar pronto em um ano e meio. Falar no Quero-Quero para voos comerciais é ignorar a renovação da frota Brasileira já em curso, onde 90% das aeronaves serão Airbus A320-NEO e Boeing B737-MAX de 170 a 200 passageiros, 8% de jatos regionais de 135 lugares e 2% de duas dúzias de turboélices. Saudações,

Deixe uma resposta