Prefeitura de Blumenau nega nova proposta aos servidores

Foto: Sintraseb

O prefeito Mário Hildebrandt (sem partido) e a Prefeitura de Blumenau foram cobrados pelo comando de greve dos servidores públicos para abrir uma negociação. Faz parte da negociação. Quando me contaram, imaginei a resposta oficial.

E ela veio.

No material enviado à Imprensa, a Prefeitura reafirma que o diálogo permanece aberto, bem como as negociações, desde que respeitando a situação econômica do município e mantendo a responsabilidade de pagar os salários dos servidores em dia.

Desta forma, permanece a proposta de aplicar integralmente o INPC acumulado, de 5,07%, sobre a folha salarial e o vale alimentação em janeiro de 2020. Aos demais itens que geram aumento de gastos, sustenta-se a posição de impossibilidade.

A Prefeitura de Blumenau reforça ainda o apelo para que os serviços essenciais sejam mantidos para que a situação de greve não penalize ainda mais a comunidade.

Dados da Prefeitura apontam que nesta quinta-feira, na área da Educação, das 46 Escolas Básicas Municipais (EBMs), 36 atenderam normalmente na quinta-feira e dez com atendimento parcial. Dentre os 77 Centros de Educação Infantil (CEIs), 58 tiveram atendimento normal, 18 atenderam parcialmente e apenas o CEI Erwin Pasold fechado.

Na saúde, das 74 unidades de atenção básica, 61 estiveram com atendimento normal ou parcialmente funcionando nesta quinta-feira, dia 6, entre eles os sete Ambulatórios Gerais (AGs). Outras 13 unidades seguem fechadas em decorrência da greve dos servidores municipais.

O atendimento parcial das unidades está relacionado com a sala de vacinação fechada ou paralisação pontual de servidores, mas que permite a manutenção dos serviços à população.

1 Comentário

Deixe uma resposta