Opinião: empreender não é modinha

Imagem: "Quebradores de Pedras" - Gustave Courbet/Reprodução

#palavrão que pariu: empreender é difícil de mais. Começa pela definição do bicho-grilo, homem ou mulher, que usa suas ideias e braços para viabilizar algo. Virou modinha falar sobre empreendedorismo, enrolar tudo e todos nesta bandeira. Gente que nunca teve uma caixa de picolé para vender esticando o papo para dizer o que é certo ou errado neste mundinho.

A semana que passou marcou o dia do empreendedor. Quanta asneiras foram ditas. Criam romances para contextualizar a prática do cidadão de encontrar um meio para sobreviver que, diga-se, está difícil de mais.

Vender balas no semáforo, quentinhas, artesanato, por exemplo, não é nada mais que uma tentativa de colocar comida na mesa e construir um ambiente com mais dignidade aos dias de existência. Também não é glamour empreendedor aquele que encontra no CNPJ MEI uma maneira de vencer o desemprego.

As dancinhas nas redes sociais, as frases motivacionais e toda baboseira quem inventam não contribui para formar um empreendedor, não ajuda. Por mais lindas ou sofridas que sejam estas histórias, contam coisas do indivíduo e seus dramas. Só e nada mais!

Ter um negócio, carregar um cpnj e dar asas a uma idéia – ou qualquer nome que você queira aplicar – é certamente um dos maiores desafios que um humano pode encarar. E não é exagero pensar assim. Esteja o sonhador na pátria que estiver.

É duro arriscar seu patrimônio, a riqueza que alimenta sua família, para empregar outras pessoas, atingir um resultado, que muitas e muitas vezes não sabe se chegará. Depois que você girar a tramela da porteira para esta trilha esqueça, impossível retornar. Ficará exposto, por vezes frágil, e seguirá em frente mesmo com pedras no caminho.

Um negócio aberto, uma ideia defendida, é um sonho que está ali. Fechou a porta, ele se foi…

Gosto de dizer que o prazer está no caminho e a dor no destino de quem empreende. Se alinhar o sol, os propósitos, o conhecimento e dedicação ainda restará tudo aquilo que não dá para controlar e fazer dar certo. Tenha um tanto de fé na jornada para que a sorte sorria e desfrute das coisas boas que surgirem.

Empreender é difícil, solitário, confuso e, com juízo, um pouco divertido também. Diante de tanta bobagem que falam deste caminho, espero ter contribuído e não desanimado. Boa semana, boa sorte e bons negócios.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta