O Senado, o Uber e os taxistas de Blumenau

Um dia depois do pessoal do Uber sair às ruas de Blumenau, foi a vez dos motoristas de táxis defenderem seu ponto de vista pela cidade,  nesta manhã de terça-feira, 31. Uma manifestação que contou com mais de cem carros, segundo colegas que estavam lá.

Tudo por conta da análise, pelo Senado, do projeto que regulamenta o transporte individual pago, que veio da Câmara dos Deputados. A votação também aconteceu nesta terça-feira, um pouco mais tarde.

Ainda não foi desta vez. Os senadores propuseram emendas e retiraram dispositivos, com isso o projeto volta para os deputados. Os motoristas de táxi não gostaram muito desta postergação, mas as mudanças feitas no Senado foram importantes.

Caiu a obrigatoriedade dos veículos que prestam serviço aos aplicativos serem obrigados a usar placas vermelhas, como táxis e outros veículos de transporte de passageiros. Outra situação que ficou de fora é a obrigatoriedade dos carros estarem no nome do motorista.

A proibição dos taxistas fazerem viagens intermunicipais voltou com os senadores, os aplicativos estão autorizados.

E por fim uma questão que pode ter impacto em Blumenau. O texto dos deputados diz “que os motoristas dos aplicativos precisariam de licenças específicas das prefeituras para rodar”.

A nova versão diz que “não haverá necessidade de licenças pelas prefeituras, às quais caberá somente fiscalizar o serviço e as empresas devem fornecer um banco de dados, com os nomes dos motoristas e os veículos”.

3 Comentário

  1. A livre concorrência e saltar , cabe a prefeitura fiscalizar . A reclamação dos taxistas não podem interferir na decisão .

  2. Se os taxistas fossem mais em conta, não teria esse problema ,agora se pega um uber a qualquer momento , táxi é uma vez por mês e olhe lá, muito caro.

Deixe uma resposta