O Informe Blumenau e os candidatos à Prefeitura

O Informe Blumenau, através da TV Informe, saiu na frente nesta campanha para prefeito. Entrevistou todos os 12 candidatos antes mesmo da campanha oficial começar, a medida que estes tinham seus nomes homologados pelas convenções partidárias.

Foram conversas sobre plano de Governo, política e credenciais para o cargo.

Teve candidato muito bem preparado, teve candidato despreparado, teve candidato que enrolou e teve candidato tentando aparentar o que não é.

Teve proposta concreta, teve proposta demagógica, teve proposta sem pé nem cabeça e teve candidato sem proposta.

Tem candidato com currículo, tem candidato sem qualificação para a empreitada, tem candidato que busca um lugar ao sol.

Tem gente que se contradisse muito, teve quem consolidou posição, teve aqueles que ficaram em cima do muro.

Ou seja, teve de tudo e este é o nosso papel como jornalista e como veículo de comunicação social. Expor as ideias e propostas daqueles que se prestam a tentar administrar Blumenau, para que o eleitor, de forma soberana, escolha o que acha o mais preparado ou o que tem as propostas que  mais vão ao encontro do que você entende ser o melhor para a cidade.

Foi apenas a largada. A partir do dia 27 está liberada a campanha eleitoral e serão 50 dias para o eleitor aprofundar  seu conhecimento sobre aqueles que querem governar nossa cidade. Se não são os candidatos perfeitos, dos sonhos, são os candidatos possíveis e são 12, ou seja, não é possível reclamar da falta de opções.

Estes 12 candidatos são o retrato de Blumenau neste momento. E um deles estará na cadeira de prefeito a partir de janeiro de 2021.

Veja ou reveja a entrevista de cada um deles.

Odair Tramontin

João Paulo Kleinübing

Ricardo Alba

Ivan Naatz

João Natel

Ana Paula Lima

Débora Arenhart

Mário Hildebrandt

Wanderlei Laureth

Mario Kato

Geórgia Faust

Jairo Santos

1 Comentário

  1. A Geórgia Faust foi a melhor nas entrevistas, defendeu serviços públicos na saúde e educação. Os demais parece q vão manter ou ampliar as parcerias privadas.

Deixe uma resposta