Núcleo de Estudos Afro-Brasileiro da FURB começa atividades

 

O planejamento do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiro da FURB faz a primeira reunião de 2016, para planejar as atividades ao longo deste ano.

O núcleo é coordenado pelo professor, ativista e produtor cultural e jornalista, Carlos Silva. É dele o release enviado abaixo.NEAB ILUSTRAÇÃO (1)

NEAB/FURB PLANEJA SUAS ATIVIDADES PARA 2016

O Núcleo de Estudos Afro-brasileiro da Universidade Regional de Blumenau (Neab/Furb) se reune nesta quarta-feira, 24, às 16h, na sala 101, do bloco S, para planejar as atividades de 2016. Podem participar alunos, professor, servidores e comunidade em geral que se identificam com o debate sobre raça e etnia.

Algumas ações já estão pre-definidas para este ano, como avançar na implantação de disciplinas que tratem da história de África e da cultura afro-brasileira conforme prevê a lei federal 10639, de 2003. Além disso, a necessidade de instrumentalizar alunos e professores para o debate sobre políticas de promoção de igualdade racial. “Precisamos fazer também um trânsito entre universidade e a comunidade sobre estas questões”, adianta o coordenador do Neab/Furb.

Outra proposta que será colocada no planejamento é o incentivo de pesquisas acadêmicas abordando a comunidade negra do Vale do Itajaí. É preciso rever a história de Blumenau e região sobre outra perspectiva, como a inserção das culturas negra e indígena que muitas vezes são colocados à margem como se não houvesse interesse por elas.

O Núcleo de Estudos Afro-brasileiro da Furb foi oficializado no dia 20 de novembro de 2014 pelo reitor João Natel. De lá para cá vem trabalhando na discussão acadêmica sobre raça e etnia pelo olhar da cultura negra.

Fonte: Carlos Silva – coordenador NEAB

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta