Mudanças no PROS estadual preocupam Executiva de Blumenau

Foto: divulgação

Nesta semana, o blumenauense Roberto Viviani Jr, ex assessor do vereador Gilson de Souza e com ligação como deputado Ricardo Alba (PSL), assumiu a presidência da Juventude do Partido Republicano da Ordem Social em Santa Catarina. Ele foi convidado por Euclides Pereira Neto, ex-presidente do Patriota de Brusque, que assumiu a presidência do PROS em SC.

O novo líder do PROS Jovem fez parte também do Partido Social Democrático (PSD) Jovem no município de Blumenau e do Direita Santa Catarina, movimentos conservadores que ajudaram nas eleições presidenciais no estado em 2018. Viviani faz questão de frisar que “teve participação direta nas coordenações das campanhas do vereador Gilson de Souza em 2016 e do Deputado estadual Ricardo Alba em 2018.”

PS: O vereador Gilson procurou o Informe para reclamar que a informação não é verdadeira e deveria ser checada antes. Disse que Viviani realmente trabalhou na sua campanha, mas não na coordenação, até porque a coordenação era exclusivamente dele, Gilson. A frase usada foi pinçada pelo material enviado pelo próprio novo presidente da Juventude do PROS. De qualquer forma, fica o registro e o pedido de desculpas ao vereador. 

PS 2: A assessoria do deputado Alba entrou em contato para dizer que Roberto Viviani não participou da coordenação da campanha para a Assembleia Legislativa. Ou seja, o novo presidente da Juventude do PROS começou mal, falando coisas que foram logo desmentidas.

Esta proximidade com o deputado Alba preocupa a Executiva do PROS em Blumenau, comandada pelo advogado Ray Reis. Existe a preocupação que seja um movimento para que a sigla apoie a pré-candidatura do deputado a prefeito. Na cidade, o PROS tem buscado construir um espaço numa chapa majoritária, com o nome do próprio Ray ou da ex-secretária de Educação Dinorah Gonçalves. Pela proximidade do presidente municipal com o vereador Ailton de Souza, o Ito,  o PL é um dos parceiros preferenciais para a disputa à Prefeitura.

É natural que candidaturas se valham de partidos “satélites”, sem estrutura local, para ganhar apoios e musculatura, como tempo de televisão e repasse do Fundo Eleitoral. Com todo respeito o PROS é um deles, como é o Solidariedade e Republicanos, para citar duas siglas que apoiarão a pré-candidatura de Mário Hildebrandt, que está no Podemos,  outra sigla que é uma incógnita sobre o futuro pós eleição em Santa Catarina.

 

 

1 Comentário

  1. Essa é a nova polititica: sempre olhando no retrovisor, para se espelhar na velha polititica. E vice versa

Deixe uma resposta