Mário Hildebrandt encara mais um problema de frente, desta vez na educação

Foto: Karol Bonin/PMB

Não tenho receio de elogiar, assim como critico quando é preciso.

Mas se tem uma coisa que gosto no estilo de gestão do prefeito Mário Hildebrandt (sem partido) é a sua disposição em encarar problemas de frente.

O mais recente foi com relação a extinção da URB, cujos os objetivos devem ser sentidos a médio prazo, mas a bola de neve da ineficiência parou.

E nesta segunda-feira, 14, apresentou importante mudanças no sistema do Fila Única para CEIs de Blumenau e anunciou a compra de duas mil vagas nas unidades particulares.

Sobre isso – compra de espaços em unidades particulares -, já ouvi algumas críticas, mas concordo. Entendo como a solução mais eficiente e rápida para atingir uma demanda de duas mil crianças, de um total de cerca de 5.500.

A Prefeitura também vai otimizar o espaço ocioso em escolas para colocar o pré-escolar 3, como já acontece em algumas unidades da rede pública.

Sobre as cinco obras dos Centros de Educação Infantil execução, o Município está tentando liberar recursos do Governo Federal travados ou mesmo conseguir a autorização para colocar verba própria para concluí-las.

E por fim os novos critérios do sistema fila única, criando uma tabela que priorize as famílias mais necessitadas, mas que precisarão comprovar trabalho dos pais se quiserem que a criança fique em turno integral.

O cadastro surgiu em 2013, no começo da gestão de Napoleão Bernardes. Foi muito importante, acabou com o “jeitinho” e deu mais transparência ao processo. Com a inclusão da situação social das famílias como critério de seleção, se dá mais um passo importante para a educação infantil.

Como disse a promotora pública, Patrícia Tramontin, no ato na Prefeitura, “se vai dar certo, não se sabe”. Mas o que não pode é ficar de braços cruzados.

Ponto para o prefeito Mário Hildebrandt.

1 Comentário

  1. A compra de vagas em entidades particulares é um paliativo , uma solução , mas como será a escolha para estas vagas ?

    O medo é que estas vagas sejam preenchidas por indicações e não por fila de espera .

    Vide os eleitos para o conselho tutelar .

Deixe uma resposta