Lei do bagaço da cerveja une diferentes segmentos de Blumenau

Foto: Internet

Na semana que antecede o Festival Brasileiro da Cerveja, que projeta Blumenau no segmento mundial, a cidade, conhecida como a capital nacional da Cerveja, dá mais um passo importante, por intermédio do vereador Alexandre Caminha (PP), com o respaldo de todos os vereadores.

Na sessão desta quinta-feira, 5, a Câmara aprovou o projeto que autoriza a utilização do bagaço extraído da fabricação de cerveja para fins alimentares, produção de ração animal e outros. O objetivo do projeto é garantir que o bagaço de malte possa ser utilizado nas mais diversas formas, desde que devidamente armazenado e manipulado, evitando-se o seu desperdício.

A iniciativa reduz um custo para o setor cervejeiro e proporciona uma alternativa para os produtores rurais de Blumenau, que podem usar como adubo ou ração animal.

A votação foi prestigiada por empresários do ramo cervejeiro, entre eles Daniel Reginatto, presidente do Vale da Cerveja e Carlos Lapolli, presidente da Associação Brasileira da Cerveja Artesanal. Quem também usou a palavra foi o Paulo Eduardo, responsável pelo Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural, destacando a importância para o segmento onde atua.

 

 

 

3 Comentário

  1. Meu DEUS, ainda bem que temos uma Camara de Vereadores para nos salvar!! Se eles não tivessem tomado esta iniciativa, as “Omas” e todas as pessoas que usam isso há décadas, continuariam na ilegalidade…. Ainda bem que vivemos numa DEMOCRACIA, mas, pergunto PRECISA DE LEI PARA FAZER ISSO????? Socorro!!!!!

  2. Sério mesmo? Estão procurando trabalho, só pode. Lei pra isso é completamente desnecessária. O bagaço de vários cerais já é utilizado para ração há séculos e Blumenau se achando inovadora por criar uma lei desnecessária. Aí é que vai o dinheiro público. Mais seriedade, por favor!

  3. O centro de ciências agroveterinarias, o CAV, em Lages, pesquisa e difunde isto desde 1994, quando a então Brahma se instalou na cidade. Como já dizia Raul Seixas: há muita estrela para pouca constelação. Mas que isto, pelo menos, se efetive!

Deixe uma resposta