Igreja luterana lança projeto para restaurar templo no centro de Blumenau

Arte: divulgação

Nesta quarta-feira, dia 11, às09h, na Igreja do Espírito Santo, templo da Paróquia Luterana Blumenau Centro (Rua Amazonas, 119, Centro), acontecerá um cerimonial de lançamento do projeto de restauro da igreja, inaugurada em 1877, o que a torna um dos monumentos turísticos e religiosos mais antigos do Vale do Itajaí.

O projeto

O Restauro visa valorizar a edificação, que se destaca pelo uso da proporção áurea e pela qualidade e perfeccionismo de sua execução. O projeto prevê o resgate da cobertura em telhas planas de corte reto e da estrutura em madeira de sustentação do telhado, que internamente, se assemelha a arcos ogivais, sustentando uma cúpula em madeira com oito gomos; restauro e proteção de seus cinco vitrais; do lanternim, com o galo e a indicação dos quatro pontos cardeais; revisão do antigo e majestoso órgão de tubos. Também estão contempladas a adaptação às normativas de acessibilidade e segurança, melhorias na drenagem próxima à edificação e da iluminação interna e externa, bem como o acesso às tecnologias contemporâneas que propiciem as melhores condições de acolhimento e de uso deste belo templo para celebrações, concertos e visitação.

A Igreja do Espírito Santo

Desde o início da colonização de Blumenau, em 1850, os imigrantes reuniam-se em celebração e, assim, fortaleciam-se espiritualmente em sua nova pátria. Com o crescimento da colônia, chegou em 1857 o pastor Rudolph Oswald Hesse, sendo fundada a Comunidade Evangélica de Blumenau. O próprio Dr. Blumenau empenhou-se junto ao governo imperial de Dom Pedro II para o fornecimento de recursos para a construção de uma igreja, o que foi autorizado, mediante o Decreto Imperial de 10/11/1865. O projeto do templo foi feito pelo arquiteto Heinrich Krohberger. Em 1868, foi lançada sua pedra fundamental e, após nove anos, a edificação em estilo neogótico foi inaugurada, em 23/09/1877, com o nome de Igreja do Espírito Santo. Templos com torre eram restritos às igrejas católicas, então esta lhe foi agregada, na década de 1930, numa reforma coordenada pelo arquiteto Franz Von Knoblauch. Esta joia arquitetônica é uma rara construção remanescente do período colonial blumenauense.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta