“Eu jamais apoiei ou fiz empenho pelo golpe”, diz Temer sobre impeachment de Dilma

Foto: reprodução TV Cultura

Michel Temer no Roda Viva

O ex-presidente Michel Temer (MDB) afirmou, em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, que não se empenhou ou apoiou o que ele mesmo chamou de golpe. A afirmação aconteceu ao comentar sobre o fato de ter sido chamado de “golpista”, durante o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

“Eu jamais apoiei ou fiz empenho pelo golpe. Aliás, muito recentemente, o jornal Folha detectou um telefonema onde o ex-presidente Lula me deu, onde ele pleiteava e depois esteve comigo para trazer o PMDB para impedir o impedimento. E eu tentei, mas a esta altura, eu confesso, que a movimentação popular era tão grande e tão intensa que os partidos já estavam mais ou menos vocacionados para a ideia do impedimento”, disse Temer.

Temer ainda falou que se Lula tivesse assumido a Casa Civil, quando foi indicado, ele poderia ter evitado o impedimento da ex-presidente Dilma.

Restabelecida a verdade?

Procuradoria-Geral da República

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, deixa o cargo nesta terça-feira. No lugar, quem assume de forma interina é Alcides Martins, subprocurador e vice-presidente do Conselho Superior do Ministério Público Federal.

Augusto Aras, indicado pelo presidente Bolsonaro, será sabatinado pelo Senado na próxima semana, quando deve acontecer também a votação.

A aprovação é dada como certa. São necessários 41 votos de 81 parlamentares.

Preço do petróleo

Depois dos ataques à petroleira na Arábia Saudita, os preços do combustível fóssil dispararam e assustaram os mercados mundiais.

No Brasil, a Petrobras decidiu manter o preço da gasolina, do diesel e dos demais derivados de petróleo até o preço se acomodar. A expectativa é que os preços continuem voláteis nos próximos dias. A Petrobras vai segurar os preços sem que isso afete a rentabilidade.

Com informações: G1 e UOL

1 Comentário

Deixe uma resposta