Escola de Blumenau realiza festival de cinema com a diversidade como temática

A Escola da Rede Pública Estadual Elza Pacheco realiza em novembro um evento bem bacana para os estudantes do ensino médio, unindo cinema e o tema diversidade. Para 0 encerrar, farão palestras e debate com pessoas ligadas aos temas propostos.

Os vereadores não gostaram e até aprovaram uma moção de repúdio.

Segue, na íntegra, a proposta da escola, desde a concepção até as etapas a serem desenvolvidas.

Festival de Cinema Elza Pacheco

Nos dias 14 e 16 de novembro acontecerá na Escola de Ensino Médio Professora Elza Henriqueta Techentin Pacheco, um ciclo de palestras e a cerimônia de encerramento do “Festival de Cinema Elza Pacheco’. Estes dois dias contarão com a presença de professores e ativistas da área de Direitos Humanos e Diversidades. As duas noites são partes de um roteiro pedagógico que acontece durante todo o ano letivo.

Festival de Cinema Elza Pacheco é uma atividade dentro da Escola de Ensino Médio Professora Elza Henriqueta Techentin Pacheco. O evento ocorre durante uma semana, mas desenvolvido ao longo de todo o ano letivo. Utiliza-se de produções cinematográficas para o levantamento de debates acerca de um tema diferente a cada ano.

Em 2017, os temas escolhidos foram as diversidades culturais africana, indígena e no Oriente Médio, além da religiosa e de gênero.  A partir destes, realiza-se atividades que construam conhecimentos junto aos (às) estudantes na busca de um constante repensar das relações estabelecidas nos espaços de convívio em sociedade. Durante o festival os estudantes foram desafiados a produzirem vídeos, fotografias, dissertações, cartazes, depoimentos entre outras atividades.

O objetivo é mostrar a toda a comunidade escolar envolvida, o quanto a intolerância está muito presente na vida das pessoas, impedindo que muitas consigam reconhecer a diversidade como um fator de engrandecimento da própria sociedade.

Saber sobre o outro é também saber sobre si, pois é na observação sobre aqueles que vivem de forma diferente é que podemos reconhecer nossos próprios valores e concepções. É no respeito a diversidade, que podemos compreender sua importância e, muitas vezes, corrigir nossos preconceitos e limitações, bem como, identificar os traços que mutuamente trocamos com aqueles que, a princípio, imaginamos tão distantes.

Cronograma:

O projeto é desenvolvido ao longo do ano letivo, em diversas etapas:

  1. Apresentação do projeto e realização de um diagnóstico acerca da temática selecionada, junto ao corpo discente, a fim de se estabelecer um parecer inicial do conhecimento trazido pelos(as) estudantes. Os resultados obtidos e selecionados serão expostos no mural reservado ao projeto.

Quando: Fevereiro/Maio.

  1. Elaboração de um mural acerca da temática, com imagens trazidas pelos estudantes.

Quando: Fevereiro/Abril.

  1. Realização de um debate preliminar, trazendo alguns conhecimentos básicos sobre a temática, através de um texto-base, apontando possibilidades para o corpo discente envolver-se com o projeto.

Quando: Fevereiro.

  1. Elaboração e exposição de fotos confeccionadas pelo corpo discente acerca da temática.

Quando: Fevereiro/Maio.

  1. Semana do Festival I: Exibição de produções cinematográficas acerca da temática, nos cinco primeiros dias da semana. [Cronograma e vídeos pré-selecionados abaixo].

Quando: 26 a 30 de Junho.

Outras sugestões de vídeos: Entregar para o Prof. Maicon até 31 de Março.

Observação: Os vídeos selecionados em definitivo serão divulgados em abril. Professores(as) que desejarem cópia dos mesmos, deverão entrar em contato com o Prof. Maicon.

 

VÍDEOS PARA EXIBIÇÃO
Diversidade Religiosa
Segunda O Pagador de Promessas 1h 32 min
Diversidade Religiosa e Direitos Humanos 12 min
Carnaval dos Deuses 9 min
O Mundo das Religiões 5 min
Five 5 min
Ma’amoul – Jovens Muçulmanas em São Paulo 25 min
Diversidade Cultural – Oriente Médio
Terça The DNA Journey 11 min
Paradise Now 1h 28 min
Árabes Malvados, Filmes Ruins – 50 min
Como Hollywood Vilificou um Povo
Diversidade Cultural – Áfricas
Quarta Moolaadé

A África que Nunca Vimos ou que Ninguém nos Mostra

2h

6 min

Homens Africanos em Hollywood 3 min
Let’s Save Africa! Gone Wrong 4 min
Chimamanda Adichie – 19 min
O Perigo de uma História Única
Diversidade Cultural – Indígenas
Quinta Xingu – Partes I e II 1h 31 min
A Luta dos Povos Esquecidos 53 min
Diversidade Sexual
Sexta Vestido Novo 14 min
Tomboy 1h 23 min
Dia dos Namorados – O Boticário 30 seg
Famílias LGBT 52 min
  1. Semana do Festival II: Ao fim das exibições das produções diárias acima, realização de atividades elaboradas pelos (as) professores (as) individualmente, para uma única série, a fim de estabelecer um conhecimento mais aprofundado sobre o material apresentado nos vídeos.

Quando: 05 de maio.

Responsáveis: Cada professor (a) deve confeccionar uma atividade para a série correspondente de sua disciplina. Esta atividade deve relacionar a disciplina com a temática ou uma sub-temática, mesmo que não seja do dia específico selecionado. A mesma deve ser pensada para que o corpo discente a realize e entregue dentro do período de uma aula, sendo que a pontuação ou valor da mesma deve ser definida pelo (a) próprio (a) docente.

 

ORGANIZAÇÃO DAS ATIVIDADES
Ano Segunda Terça Quarta Quinta Sexta
Primeiros Biologia Língua Geografia Ed. Física  Atração
Estrangeira Musical:
Segundos Química Sociologia Língua Portuguesa Matemática Libélula
Em
Terceiros História Arte Filosofia Física  Verso

 

  1. Semana do Festival III: Exibição de produções cinematográficas produzidas pelos (as) estudantes, acerca da temática, no sexto dia. Além dos (as) estudantes, [para aqueles que produziram vídeo, é obrigatório] os familiares também serão convidados para assistirem.

Quando: Sábado, 1º de julho (Matutino).

  1. Desenvolvimento de músicas autorais ou paródias acerca das temáticas debatidas, como uma outra forma de representação dos resultados das discussões realizadas ao longo do ano letivo.

Quando: Agosto/Outubro.

Execução: Terceiros Anos.

  1. Realização de um debate final acerca da temática, a fim de se verificar o conhecimento produzido pelos (as) estudantes ao longo de todo o processo. A realização do debate ocorrerá com a palestra de professores (as), estudantes e/ou convidados.

Quando: 14 e 16 de Novembro (Noturno).

 

10 Comentário

  1. Parabéns aos Vereadores que aprovaram a moção de repúdio. A Escola não é lugar para apologia a “tal” diversidade de gênero. Sob o pretexto de falar sobre tolerância, querem é propagar suas ideologias, e logo para adolescentes, que estão em uma fase em que são facilmente manipulados. Querem de toda forma cooptar nossas crianças. Não conseguirão!

  2. Grande iniciativa dos professores que bancam ampliar o olhar dos alunos. Escola que não reflete a realidade (e sobre ela) não alcança a missão de preparar as pessoas para a vida.

  3. Cabe denúncia ao Ministério Público. Escola é lugar de aprendizagem, não de propagação de fanatismo ideológico, ainda mais para jovens.

  4. Escola é lugar de diversidade e de conhecimento com embasamento teórico, não de preconceito e intolerância. A proposta curricular de Santa Catarina está embasada nas questões da diversidade. Esta é uma escola estadual. A atividade está totalmente dentro da proposta, traz embasamento teórico e é resultado de um trabalho desenvolvido ao longo do ano.

  5. Parabens aos vereadores , moção de repúdio correta , devem cobrar a secretaria de educação .

  6. Achei interessante esse item: “Realização de um debate final acerca da temática, a fim de se verificar o conhecimento produzido pelos (as) estudantes ao longo de todo o processo. A realização do debate ocorrerá com a palestra de professores (as), estudantes e/ou convidados.”
    Debate pressupoe divergencia de ideias, quem são os convidados para falar com ideias diferentes dos convidados ali? Cade a diversidade nessa hora? Se somente um lado é ouvido se chama doutrinação e é crime. Um deabte sadio, onde diversos pensamentos divergentes são discutidos faz bem para adolescentes do ensino medio, mas essa doutrinação bosta, onde só um lado é ouvido que está errada. #escolasempartido

  7. Parabenizem os vereadores também quando aumentarem os próprios salários…..Até parece que o parlamento é exemplo de moralidade.

  8. Muitas críticas e pouca sabedoria. ..triste realidade nos dias de hoje. ..muitas vezes nem sabem o que criticam. ..Como numa bula de remédios, apenas lêem as contra indicações.

  9. Parabéns aos organizadores. Evento de excelente qualidade para a juventude de Blumenau. Todos ested temas são discutidos nas principais universidades do mundo. Aqui em Oxford, onde estou este ano este debate é frequente. Isto só evidencia a excelente parceria entre a escola, universidade e sociedade do Vale do Itajaí, juntas discutindo os principais problemas do tempo presente.

  10. Ninguém vai pra escola hétero e volta de lá gay não minha gente, além do mais esses assuntos são extremamente raros de ser abordados na escola e se agora estão sendo abordados é com objetivo de reduzir a intolerância nada mais do que isso.
    Ao contrário da TV aberta que aborda o tema todos os dias.
    Outra coisa se você deu pro seu filho ou filha um celular com acesso a internet deveria estar muito mais preocupado.

Deixe uma resposta