A era da incerteza

Foto: http://sicurezzaeditora.com.br/blog/?p=2756

Aroldo Bernhardt

Professor

 

Galbraith se referia ao final do Século XX como a era da incerteza. Mal sabia ele que profundas incertezas ainda estavam por vir. Aquele século começou cheio de esperança, havia a expectativa de que a produção catalisada pela industrialização, o consumo pela lógica do mercado e a agilidade pela tecnologia levariam abundância para todos. A miséria e a fome ficariam no passado.

Adam Smith e Ricardo firmaram a ideia de que a economia corria segundo uma ordem natural e deísta (a mão invisível do mercado). Spencer, com argumentos darwinistas, deu justificativa moral à concentração da riqueza e convenceu (os ávidos por aprovação divina) de que os ricos simplesmente eram os mais bem adaptados ao ambiente “natural” da economia. E Marx representou a voz dissidente.

Com tudo isso do ponto de vista da economia e mais duas grandes guerras na perspectiva da História, o Século XX frustrou as expectativas e terminou com uma enorme exclusão (a metade da riqueza está nas mãos de um por cento da população mundial) e  a degradação ambiental é preocupante.

As instituições e os valores estão sendo arrostados – a Família (ou os seus valores tradicionais), a Escola (e seu método positivista e cartesiano), as Religiões (e o choque entre fé e ciência), o Mercado (e sua lógica excludente) e o Estado (e sua missão estruturante). Em suma, tudo está em cheque. A contestação é generalizada, o establishment está na pauta.

Há um nítido desgaste das abordagens vigentes em todas as dimensões da vida humana associada.

A visão iluminista, que universalizaria o império da razão, bem como as perspectivas capitalista, de levar progresso e riqueza para todo mundo e a socialista, de gerar sociedades igualitárias e sem classes não respondem à complexidade do século XXI.

Precisamos simplificar, buscar atender as expectativas mínimas tais como receber um salário que permita ter acesso à saúde, à escola, a um transporte coletivo adequado, contar com serviços sanitários básicos, dispor de lazer e de cultura e de uma aposentadoria digna para enfrentar os achaques da velhice.

Foto: http://sicurezzaeditora.com.br/blog/?p=2756

 

1 Comentário

  1. Fale isto para a gangue do seu partido o PT.. .que saqueou o Brasil.Demagogia barata.

Deixe uma resposta