Entenda o quociente eleitoral

Muita gente não entende como funciona a regra para eleger vereador, que faz com que candidatos com mais votos fiquem de fora em detrimento a outros que tiveram votações menores. Em 2012 o Becker, então no PPS, entrou com 1.990 votos. Dez adversários fizeram mais votos que ele e não entraram. Almir Vieira (na época no PSD), por exemplo, fez 4.257 e ficou como suplente.

Esta situação acontece porque a legislação determina que cada partido ou coligação proporcional atinja um determinado número de votos, calculado a partir da divisão dos votos válidos no pleito pelo numero de vagas disponíveis ( 15 em Blumenau).

Votos válidos são calculados sem levar em consideração os nulos, brancos e o índice de abstenção. É preciso saber este resultado para saber quanto será o quociente em Blumenau.

Em 2012, com o eleitorado próximo do atual, mais de 32 mil pessoas não apareceram para votar. Brancos e nulos foram mais de 18 mil. Os votos válidos foram 179.527.

Nesta eleição, candidatos trabalham com números que variam entre 9 e 11 mil votos para garantir uma vaga. Sempre que a coligação ou partido atingir este índice elege  um vereador, por ordem de votação dele.

Em resumo, o voto do eleitor na eleição proporcional brasileira indicará quantas vagas determinado partido/coligação vai ter direito. Cabe ressaltar que, mesmo que um candidato tenha votação expressiva, se o partido/coligação não ganhar vaga, tal candidato pode não ser eleito. (Fonte TSE)

E depois vem o cálculo das  “sobras”, mais complicado ainda de entender. É a forma como se distribuem as cadeiras que não puderam ser preenchidas pelo quociente eleitoral.

A lei diz então que “ dividi-se o número de votos válidos atribuídos a cada partido ou coligação pelo número de lugares definido para o partido pelo cálculo do quociente partidário do art. 107, mais um, cabendo ao partido ou coligação que apresentar a maior média um dos lugares a preencher, desde que tenha candidato que atenda à exigência de votação nominal mínima, que é de 10%”

Complicado? Sim, principalmente este negócio da sobra.

Se quiser dar mais uma pesquisada, leia aqui.

Já já escrevo sobre os candidatos com mais chances neste pleito e a expectativa de distribuição de vagas a partir desta matemática complicada.

 

quociente-eleitoral

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta