Eleições municipais para a esquerda, Bolsonaro cabo eleitoral e o placar da reforma

Na foto: Marcelo Freixo (PSOL), Edmilson Rodrigues (PSOL) e Manuela D'Ávila (PCdoB). Foto: reprodução internet

Eleições municipais para a esquerda

Para conter o avanço da direita e extrema-direita no Brasil, a esquerda começa a se movimentar e indicar alianças inéditas para as eleições municipais do ano que vem.

Sinal disso, é que o PT deve apoiar candidatos do PSOL já no primeiro turno. As principais candidaturas devem ser de Marcelo Freixo no Rio Janeiro e Edmilson Rodrigues em Belém.

O PT ainda prevê uma aliança em torno de Manuela D’Ávila (PCdoB), em Porto Alegre.

Existem movimentos também em Belo Horizonte e Florianópolis, onde já aconteceram reuniões entre PT, PSOL e PCdoB.

Bolsonaro cabo eleitoral

Bolsonaro quer aproveitar a “onda” que o levou ao Planalto para influenciar e barrar o avanço da esquerda nas eleições municipais do ano que vem. Disposto a pedir votos, o presidente tem estimulado aliados a lançarem candidaturas que defendam iniciativas do governo federal. O foco deve ser as capitais e grandes cidades.

A ideia é reproduzir a polarização da última eleição.

Com informações de “O Globo”

Placar da reforma

A reforma da Previdência, que deve começar a ser votada nesta terça-feira (9), tem o apoio de 268 deputados, aponta o Placar da Previdência feito pelo Estadão. Do total, 17 condicionam o voto favorável a mudanças no texto.

O número de votos contrários aumentou de 97 para 105. Esse é o maior apoio já registrado nas edições do Placar da Previdência. Para aprovar o texto na Câmara são necessários 308 votos.

Com informações do Estadão

Resumo do Brasil: eleições municipais para a esquerda, Bolsonaro cabo eleitoral e o placar da reforma

1 Comentário

  1. Sinal disso, é que o PT deve apoiar candidatos do PSOL já no primeiro turno. As principais candidaturas devem ser de Marcelo Freixo no Rio Janeiro e Edmilson Rodrigues em Belém.

    Nenhuma surpresa , bandido apoiando bandido .

Deixe uma resposta