Disparo em massa de mensagens nas eleições 2018 e a suspensão do decreto das armas no Senado

Disparos no WhatsApp

Segundo a Folha, durante a campanha eleitoral de 2018, empresas brasileiras contrataram uma agência de marketing na Espanha para fazer pelo WhatsApp, disparos em massa de mensagens políticas a favor do então candidato Jair Bolsonaro, do PSL.

Folha obteve áudios em que o espanhol e dono da Enviawhatsapp, Luis Novoa, fala sobre as empresas brasileiras que contrataram o seu serviço de disparo de mensagens.

Nos áudios, ele diz que “empresas, açougues, lavadoras de carros e fábricas” brasileiras compraram seu software para mandar mensagens em massa a favor de Bolsonaro.

Novoa não sabia que o seu programa estava sendo usado para disparos eleitorais no Brasil, e só ficou sabendo quando o WhatsApp cortou suas linhas.

A empresa confirmou o corte das linhas, mas não comentou sobre contas que foram banidas.

Não há indicações que Bolsonaro e sua equipe sabiam dos disparos.

Com informações da Folha.

Decreto das armas

Plenário do Senado analisará nesta terça-feira (18) o parecer aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que tem como objetivo suspender o polêmico decreto das armas do presidente Jair Bolsonaro.

O parecer é o primeiro item da pauta do dia. Se aprovado, será enviado para a Câmara dos Deputados. Se for rejeitado, propostas que visam suspender o decreto serão arquivadas.

Enquanto não se tem uma conclusão do Congresso, as regras do decreto continuam valendo.

Com informações do G1.

Decreto das armas 2

Presidente Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (18) que, se a suspensão do decreto de armas for mantida pelo Senado, não tomará medida adicionais no futuro para reverter o caso, pois “não é ditador”, mas um “democrata”.

“Não posso fazer nada. Não sou ditador, sou democrata”, declarou.

Com informações do UOL.

Resumo do Brasil: áudios obtidos pela Folha confirmam disparos em massa de mensagens via WhatsApp nas eleições de 2018 e a suspensão do decreto das armas no Senado.


2 Comentário

  1. Disparos no WhatsApp.

    A Folha de São Paulo não tem moral para nada mais , fechem este jornaleco .

  2. Os números provam os FATOS!
    Número de armas no Brasil sobe 10%, este ano, e mortes violentas caem 23%! Cadê a turma do “mais armas, mais mortes” hein?!

Deixe uma resposta