A desconfortável posição de Marco Antônio Wanrowsky

Foto: Alexandre Gonçalves/Informe Blumenau

Pessoas que circulam próximas ao experiente político dizem que ele está descontente com os últimos desdobramentos políticos em torno do seu nome. A partir desta semana não é mais Chefe de Gabinete da Prefeitura e o projeto de assumir uma vaga como deputado estadual ficou mais distante.

Conversei com Marco Antônio Wanrowsky no começo da noite desta segunda-feira, 30. Ele disse ter maturidade política para superar esta fase, mas buscará uma resposta rápida para seu futuro político. Lembrou que abriu mão de seu projeto de reeleição para vereador em prol do projeto maior, destacando que é “um homem de grupo”, com “total fidelidade partidária”.

Nesta terça-feira, começo da manhã, conversará com o prefeito Napoleão Bernardes, quando, provavelmente, desenharão cenários para que ele volte para a linha de frente da Prefeitura.

Enquanto isso, nesta segunda-feira, uma comitiva do PSDB do Médio Vale do Itajaí foi conversar com o presidente da sigla em Santa Catarina, o deputado estadual Marcos Vieira, para cobrar a vaga na Assembleia Legislativa que estava acertada para Wanroswsky, terceiro suplente.  O problema é que o segundo suplente, Nilson Gonçalves, hoje sem partido, mudou de opinião e decidiu assumir uma das cadeiras abertas pelos dois deputados que viraram secretários do governo Colombo.

Entre os presentes na comitiva, estavam o prefeito de Indaial, André Moser, o coordenador regional do PSDB, Valdair Mathias e o filho vereador, Alexandre Mathias. Senti falta de mais representatividade de Blumenau. Porque o prefeito Napoleão Bernardes não foi? O senador Dalirio Beber? O presidente do PSDB municipal, José Carlos Oechsler?

Imagino que as principais lideranças daqui estejam negociando em outras esferas, mas faltou representatividade na foto da reunião, tirada pelo próprio PSDB.

Enfim, se realmente confirmar a falta de espaço na Assembleia Legislativa, Marco Wanrowsky será secretário municipal. Resta saber de qual pasta.

Foto: divulgação

5 Comentário

  1. Arrumem uma vaga na Câmara..é o prefeito que manda no legislativo mesmo…

  2. Fica tranquilo, Wanrowsky!

    O teu PSDB jamais desrespeita o combinado e, sobretudo, a Convenção Municipal para a escolha dos candidatos a vereador, rsrsrsrsrs…

    Boa sorte!

  3. Alexandre! Sobre o Napoleão deve estar se desdobrando para resolver seu secretariado, e o Oeschler não acabou de assumir um cargo na Câmara então o trabalho dele é estar lá e trabalhar pelo legislativo! Fácil, assim eles apenas fazem o certo, o que é muitas vezes levandado pelo jornalismo junto a sociedade, ai quando isto pode acontecer o mesmo jornalismo faz ponderação sobre a falta deles. Que coisa louca! Não é final de semana? Era segunda!

    Sobre o Dalírio fica fácil de dizer porque não foi, já que ps trabalhos no Senado em Brasília começaram no mesmo dia, ou seja, ele foi cumprir o que ele foi empossado, inclusive podias ter acompanhado na página dele e do prefeito de Luiz Alves, fácil! Até mesmo por coerência, para depois alguns jornalistas não ficarem com discurso pronto e generalista falando que em Brasília ninguém trabalha!

Deixe uma resposta