Deputado Alba discorda de medidas restritivas imposta pelo governador Moisés por conta do coronavírus

Foto: Alesc

Um dos mais fiéis aliados do governador Carlos Moisés (PSL), o deputado estadual Ricardo Alba (PSL), o mais votado na última eleição, se manifesta contrário as medidas restritivas impostas pelo Governo do Estado.

“…se há que fazer um isolamento deve ser apenas dos grupos de risco, o chamado isolamento vertical, e a retomada imediata da economia. Já deixei claro que o comércio deve voltar, que as indústrias devem voltar, todas empresas em geral, a economia não pode parar por causa desta doença, existem inúmeras outras e não paramos em nenhum momento”, disse.

“…infelizmente não é a tese que está prevalecendo no Governo do Estado e nem no Governo Federal. Aliás, no Governo Federal, o Bolsonaro manda trabalhar, o ministro de Saúde manda ficar em casa, os governadores decidiram pelo isolamento, inclusive em SC…”

“…isso vai gerar uma recessão que pode gerar muito mais mortos que o próprio vírus”, afirma em outro ponto do áudio que recebi nesta terça-feira, 31.

4 Comentário

  1. Enquanto a OMS e o mundo vão numa direção, esses oportunistas e negacionistas de ocasião, além de não dar valor à vida, analisam a economia como um fim em si mesma . Ele deveria conversar com prefeito de Milão e com o Trump que hoje levam nas costas centenas de milhares de cadáveres e mais a uma economia arrasada. Esse pessoal vai ser “bem lembrado” a cada morte , infelizmente, que ocorrer!

  2. Convenientemente se esquecem que:

    1 – Pouca gente no grupo de risco mora sozinha.
    2 – A doença vai causar mais dano à economia do que a quarentena.
    3 – Quanto melhor a população observar a quarentena, mais rápido voltaremos ao normal.
    4 – Assim que acabarem os leitos na UTI, vai disparar a mortalidade de pessoas tanto dentro quanto fora do grupo de risco.
    5 – Sem isolamento em um mês ou dois vai parar tudo de qualquer modo por causa do grande número de pessoas doentes.
    6 – O vírus é mutável, quanto mais vítimas disponíveis, maior chance de novas mutações. Sem isolamento as pessoas irão pegar a doença várias vezes por ano, cada vez com 1, 2 ou 3% de não resistirem. E quanto mais mutações, mais difícil combater via vacinação.
    7 – Isso não é uma espécie de nova gripe, se não houver combate se tornará uma espécie de nova malária, com a população ficando incapacitada vários meses por ano.

  3. Ao ver a forma como usa os argumentos se percebe o quanto é ignorante (de ignorar)!

    Um “ze ruela” que chegou a deputado!!

  4. Esse é o momento em que nossos representantes não deveriam politizar, mas é o que está acontecendo.

    A economia iria parar com o isolamento ou com o excesso de pessoas contagiadas em hospitais, pessoas morrendo em suas casas pois não teriam leitos para recebe-las.

    Infelizmente nosso presidente se perdeu nas falas e ao invés de acalmar os ânimos o mesmo botou mais lenha na fogueira, e se mostra um péssimo estadista, deixando muitas vezes sua equipe de trabalho em saia justa, que apesar do presidente fazem um bom trabalho.

    E assim que como quem o segue se torna um bando de alienado que acham que a mídia manipula alguma coisa, e pior caem na bobeira de não assistir nenhum meio de comunicação achando que estão certos e chove fake news distribuído por essa turma de fanáticos do Bolsonaro.

    Deputado faça seu papel lute por Blumenau, como vc deixou que o governo do estado direcionasse um centro de referência do covid 19 em Timbó e não em Blumenau?

    Nem isso nossos deputados conseguem trazer para cá!

    Estamos muito mal representados, e ainda sonda ser prefeito de Blumenau.

    2 anos de vereador, 2 anos de deputado dai se for prefeito vai ficar 2 anos tbm?

Deixe uma resposta