CPI: Justiça nega recurso de Jovino e tenta ouvir motorista

Foto: Jessica de Morais / Imprensa CMB

 

Duas coisas movimentaram a sessão da CPI desta quinta-feira, 28.

Foto: Jessica de Morais / Imprensa CMB
Foto: Jessica de Morais / Imprensa CMB

A informação de uma decisão judicial relativa a mandado de segurança solicitado pela defesa do vice-prefeito. O juiz João Baptista Vieira Sell negou o pedido de afastamento do vereador Jefferson Forest da relatoria da CPI.

O(s) advogado(s) de  Jovino Cardoso Neto alegava(m) que, por ser denunciante, Forest não deveria ocupar a função de relator da Comissão.

A outra é o reforço na convocação do motorista “oficial” do gabinete do vice-prefeito. Servidor de carreira, é considerado peça chave pelo relator Jefferson Forest (PT).  Entrou em férias durante a CPI e teria ganho mais alguns dias nesta semana.

Estavam com dificuldades de encontrá-lo.

Além dele, uma outra servidora foi intimada para prestar depoimento. Com isso, deve atrasar em uma, duas semanas o parecer do relator.

Enquanto isso, Jovino Cardoso Neto e Jefferson Forest trocam versões nas redes sociais sobre a sessão da última sexta-feira, quando do depoimento do vice-prefeito.

O relator mostrando as inúmeras respostas “nada a declarar” dada por Jovino, enquanto este mostra a parte final da sessão quando, depois de se recursar a responder, pediu a palavra para fazer uma manifestação e foi impedido pelo petista.

Se você ficou curioso para ver os vídeos com estes relatos, basta entrar no Facebook dos dois, está lá.

2 Comentário

  1. O PT fez escola para as CPI’s ….ensinou tudo para quem e acusado , só não ensinou como ser relator , pois nunca estiveram deste lado da mesa.

  2. E agora, José? A festa acabou, a luz apagou, o povo sumiu, a noite esfriou, e agora, José?
    e agora, você?
    você que é sem nome, que zomba dos outros, você que faz versos,que ama, protesta?
    e agora, José?
    Sozinho no escuro…sem cavalo preto, que fuja a galope,você marcha, José!
    José, para onde?

    Acredito que esta seria a análise de Drummond sobre tudo isso…

Deixe uma resposta