Consumo de nozes auxilia o pensamento, raciocínio e memória de idosos

De maneira mais ampla, a Organização Mundial da Saúde diz que, até 2020, o número de pessoas com 60 anos ou mais ultrapassará as crianças com menos de cinco anos

À medida que envelhecemos, se torna naturalmente enfrentarmos mudanças no raciocínio, na memória e na velocidade de processamento.

O pesquisador, Dr. Ming Li, da UniSA, relata uma associação entre cognição e ingestão de nozes em adultos, podendo trazer auxílio para redução do declínio cognitivos o qual passamos no envelhecimento.

O estudo aponta que comer mais de 10 gramas (ou duas colheres de chá) de nozes por dia está associado positivamente a um melhor funcionamento mental, incluindo melhor pensamento, raciocínio e memória.

Segundo o estudo com o consumo das oleaginosas as pessoas mais velhas podem melhorar sua função cognitiva em até 60% – em comparação com as que não a consomem.

Uma noz de fácil acesso como o amendoim pode ter efeito anti-inflamatórios e antioxidantes específicos que podem aliviar e melhorar as funções cognitivas.

Sabe-se que as nozes são ricas em gorduras saudáveis, proteínas e fibras, com propriedades nutricionais que podem reduzir o colesterol e com isso auxiliar numa melhor qualidade de vida aumentando nossa longevidade e reduzindo o risco de doenças como a demência por exemplo.

Mesmo a idade sendo um fator de grande relevância para diminuição de nossas faculdades mentais e cognitiva, vale a pena termos ao nosso lado um delicioso auxiliar para combater esta diminuição.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta