Campanha de Vacinação contra a gripe é antecipada em todo o estado e começa na segunda-feira

Foto: Mauricio Vieira/Secom

Conforme anunciado pelo Ministério da Saúde (MS), por conta da pandemia do coronavírus (Covid-19) e dos casos confirmados no Brasil, a Campanha Nacional de Vacinação contra a influenza (gripe), que costuma ser realizada em abril, foi antecipada para o dia 23 de março. A mobilização segue até o dia 22 de maio, sendo 9 de maio, sábado, o dia “D” de imunização.

A gerente de imunização da Secretaria de Saúde de Santa Catarina, Lia Quaresma Coimbra, esclarece que a vacina contra a gripe não imuniza a população contra o coronavírus. “A antecipação da campanha é uma estratégia que será utilizada pelo Governo Federal para facilitar o trabalho das equipes de saúde no diagnóstico do coronavírus. Isso porque os sintomas da Covid-19 são muitos semelhantes aos da gripe”.

Em Santa Catarina, o público alvo é de 2.271.314 pessoas e, assim como em anos anteriores, a campanha será dividida por grupos prioritários. A meta é vacinar, pelo menos, 90% de cada um dos grupos. A novidade para este ano é a inclusão de mais um grupo na campanha, os adultos com idade entre 55 e 59 anos. Até o ano de 2019, a vacina só estava disponível para os adultos com 60 anos ou mais.

Para a Campanha, o estado vai receber um total de cerca de 2.570.800 doses. Crianças vacinadas pela primeira vez vão receber duas doses, com um intervalo mínimo de 30 dias entre elas. A vacina oferecida neste ano será a trivalente que protege contra o vírus H1N1, H3N2 e vírus do tipo B.

As etapas da Campanha de Vacinação contra a gripe serão as seguintes:

– 1ª fase (a partir do dia 23/03): idosos com 60 anos ou mais e trabalhadores da saúde;

– 2ª fase (a partir do dia 16/04): professores de escolas públicas e privadas, profissionais das forças de segurança e salvamento, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais;

– 3ª fase (a partir do dia 09/05): crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), povos indígenas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e adultos de 55 a 59 anos de idade.

Estimativa de vacinação por grupo prioritário:

CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA A INFLUENZA 2020
PÚBLICO-ALVO ESTIMATIVA DE VACINAÇÃO
Crianças de 6 meses a 5 anos 11 meses e 29 dias 471.184
Trabalhadores da saúde 134.793
Gestantes 71.524
Puérperas (até 45 dias depois do parto) 11.752
Povos indígenas 11.459
Adultos de 55 a 59 anos 303.203
Idosos com 60 anos ou mais 670.228
Pessoas com comorbidades 490.452
Professores de escolas públicas e privadas 76.775
Jovens sob medidas socioeducativas e privados de liberdade 16.400
Funcionários do sistema prisional 3.981
Forças de segurança e salvamento 9.563
TOTAL 2.271.314

Influenza em Santa Catarina

Em 2020, até o dia 16 de março, foram confirmados 20 casos de Influenza (gripe) em Santa Catarina, sendo 10 por Influenza A H1N1, sete Influnza B e três estão aguardando confirmação do tipo. Nenhum óbito notificado até o momento.

No ano passado, foram 512 casos de influenza confirmados em Santa Catarina, sendo 376 pelo vírus A (H1N1), 63 pelo vírus A (H3N2), 17 aguardando subtipagem, 55 pelo vírus Influenza B e 1 encerrado por vínculo epidemiológico. Destes, 70 morreram.

Influenza (gripe)

A influenza, também conhecida como gripe, é uma infecção viral aguda, de elevada transmissibilidade, que afeta o sistema respiratório.  O vírus é transmitido a partir das secreções respiratórias, a partir de tosse ou espirros, e pode sobreviver algumas horas em diversas superfícies. O contato com uma pessoa doente ou com uma superfície contaminada pode fazer com que a pessoa saudável seja infectada pelo vírus ao tocar boca, olhos e nariz.

Os vírus influenza circula durante todo o ano, intensificando-se principalmente no período de inverno. Estima-se que uma pessoa infectada seja capaz de transmitir o vírus para até dois contatos não imunes. Os sinais e sintomas são: febre alta, calafrios, tosse (que pode ser seca ou com expectoração), dor de cabeça, dor de garganta, cansaço, dor muscular e coriza.

Cuidados e medidas de prevenção

  • Higienizar as mãos com água e sabão ou com álcool gel, principalmente depois de tossir ou espirrar. A higienização também é importante depois de usar o banheiro, antes das refeições, antes e depois de tocar os olhos, a boca e o nariz;
  • Evitar tocar os olhos, nariz ou boca após contato com superfícies potencialmente contaminadas (corrimão, bancos, maçanetas etc);
  • Evitar ambientes fechados e com aglomeração de pessoas;
  • Manter os ambientes ventilados e arejados;
  • Limpar com álcool superfícies e objetos que entram em contato frequente com as mãos, como mesas, teclados, maçanetas e corrimãos;
  • Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e demais objetos de uso pessoal;
  • Manter hábitos de alimentação saudáveis, com ingestão de líquidos e realização de atividades físicas.

Fonte: Comunicação Governo SC

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta