Câmara aprova requerimento para saber situação dos direitos trabalhistas dos servidores da URB

Foto: PMB

A Companhia Urbanizadora de Blumenau foi extinta, mas muitos de seus problemas prosseguem e a solução não é rápida mesmo. Mas a situação que mais merece atenção é a dos direitos trabalhistas dos servidores da empresa que foi extinta em abril com a demissão de todos 642 funcionários ao longo do mês de março.

Por conta disso, por iniciativa do vereador Aílton de Souza, o Ito (PL), a Câmara aprovou na sessão desta quinta-feira, 14, o requerimento 1820/2019, que questiona o Executivo Municipal sobre qual a atual situação do pagamento das verbas trabalhistas rescisórias dos antigos trabalhadores da Companhia Urbanizadora de Blumenau – URB.

O requerimento ainda questiona quais as razões para o seu não adimplemento até o presente momento e se há um prazo estabelecido para o pagamento das referidas verbas trabalhista rescisórias.

O vereador Ito, na oposição declarada agora depois de perder os cargos no governo, faz a comparação com o recente abono dado para os professores e lembra das dificuldades dos trabalhadores da URB.

É importante que a Prefeitura venha a público explicar a situação, inclusive o Informe Blumenau vai atrás da informação no começo da semana. O Poder Executivo disse que boa parte dos trabalhadores foi absorvida pelas empresas que assumiram o serviço de forma terceirizada, mas não exime dos direitos trabalhistas anteriores.

A extinção da URB foi uma decisão corajosa da administração municipal, mas é importante que não fiquem penduricalhos que prejudiquem trabalhadores.

1 Comentário

  1. Que tal algum vereador propor um requerimento para saber como a URB entrou em colapso, quem possuia cargos comissionados na URB , quanto dinheiro a Prefeitura jogou na URB , e principalmente , porque a Câmara de vereadores não fiscalizou a URB ?

    Querer saber os direitos trabalhistas é fácil, mas se existe problemas , é porque os vereadores fecharam os olhos para tudo que acontecia , ou abriram demais …..

Deixe uma resposta