Cabo de guerra no MDB, a saída de Lula, a intervenção na Vale e o Moro molusco

Cabo de guerra

Existe um cabo de guerra no MDB pela candidatura à presidência do Senado. De um lado Renan Calheiros, tentando comandar a casa pela quinta vez, do outro, Simone Tebet, líder da sigla e que aposta na rejeição do nome do “adversário” na indicação.

Lula

O ex-presidente Lula pediu à Justiça para deixar a prisão hoje mesmo, para comparecer ao velório e enterro do seu irmão Genival Inácio da Silva, o Vavá.

A Justiça já abriu prazo de um dia para que o MPF (Ministério Público Federal) se manifeste sobre o pedido de Lula. Só depois disso a juíza Carolina Lebbos, responsável pela execução da pena do ex-presidente, decidirá se autoriza ou não a saída temporária do petista.

Em 1980, preso pela ditadura por liderar greves no ABC paulista, Lula foi liberado para ir ao velório e ao enterro da sua mãe.

Vale

Onyx Lorenzoni, chefe da Casa Civil, disse nesta terça-feira (29), que “não há condição” do governo intervir na diretoria da Vale.

Moro Molusco

O biólogo Luiz Ricardo Simone descobriu um novo gênero e espécie de molusco e escolheu o nome científico de “Lavajatus moroi”, em homenagem à operação Lava Jato e ao ex-juiz e atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

Simone é malacologista —estudioso de moluscos— e trabalha no Museu de Zoologia da USP. A espécie é um tipo translúcido que vive em cavernas da região de Santa Quitéria no Ceará.

Resumo do Brasil: cabo de guerra no MDB, a saída de Lula, a intervenção na Vale e o Moro molusco.

 

2 Comentário

  1. O sapobarbudo está tendo a morte que lhe desejei: lenta e bastante sofrida!

    Quero morrer bem antes do que ele!

    Quantas pessoas deverá ter morto – embora de forma indireta – este degenerado que fez política olhando para o próprio umbigo?

    Corrupção mata mais do que muitas guerras, não é verdade, napunzinho?

  2. A Justiça já abriu prazo de um dia para que o MPF (Ministério Público Federal) se manifeste sobre o pedido de Lula. Só depois disso a juíza Carolina Lebbos, responsável pela execução da pena do ex-presidente, decidirá se autoriza ou não a saída temporária do petista.

    Se autorizarem , será uma vergonha , preso é preso , cumpra a pena estabelecida . Se ele pode , todos os demais presos como ladrões, assassinos , etc…. também podem .

Deixe uma resposta