Aderir alegremente ao sistema

Aroldo Bernhardt

Professor

 

O termo sistema (do grego systêma) refere-se a um conjunto de elementos interdependentes de modo a formar um todo organizado. Contudo, também é empregado para designar a ordem política, econômica, cultural e social vigente ou prevalente em um agrupamento humano.

Nessa acepção aproxima-se da palavra de origem inglesa – “establischment”, a qual originalmente se referia à aliança entre a burguesia urbana e a aristocracia rural britânica, coalizão esta que concentrava os meios de ação e produção no país e era extremamente hostil ao compartilhamento do poder e das riquezas.

Poderíamos acrescentar a essa percepção o termo elite, tão apreciado pela parcela mais conservadora da nossa sociedade, estamento que se percebe como privilegiado e que acredita que essa condição se deve ao mérito próprio, uma espécie de seleção natural com amparo divino.

Contudo, longe de pertencer à elite, há quem vibre com o gozo alheio, o que é surpreendente e irracional. Cito como exemplo o caso de um cidadão que se disse muito feliz com a recente decisão do TRF-4, em Porto Alegre e a consequente subida das ações na Bolsa de Valores. Ele, que sequer dispõe de recursos ou expertise para aplicar em ações. Alienado, sequer percebe que lá é o valhacouto do “establischment”, mas parvo, acha que tem motivos para comemorar (e, logo adiante, se escandaliza com o aumento do preço da gasolina, analfabeto político que é, na linha do que afirmou Brecht).

Pior é quem ciente e consciente, fazendo uma leitura esperta da conjuntura, dos seus acontecimentos e consequências e, matreiramente, valendo-se daquilo que Max Weber chamou de “zweckrationalität” (cálculo utilitário de consequências ou num jargão mais chão – “é dando que se recebe”) joga-se aos pés dos poderosos de plantão, sem sequer ter sido convocado, na expectativa do aplauso fácil e volátil.

É o caso de quem, profissional da área jurídica, abandonando toda argumentação e racionalidade própria da sua área de conhecimento, parte para o emprego de aleivosias, de chavões para agradar o sistema, acariciar o “establischment”, confraternizar com a elite e, infelizmente, conspurcar sua biografia.

Embuste não pode ser atribuído a quem retirou 22 milhões da extrema pobreza ou criou 18 Universidades Federais ou promoveu queda na Desigualdade Social em 11,4% ou enfim uma propiciou autêntica revolução social, conforme dados registrados por órgão incontestes como OMS, Unicef, Banco Mundial e ONU.

Embusteiro é quem muda de lado e decide aderir alegremente ao sistema.

6 Comentário

  1. Olá, Aroldo Bernhardt!

    Como está o teu amiguinho, sapo barbudo/molusco/invertebrado?

    Eu respondo: está tendo a morte que eu, Alcino Carrancho, lhe desejei, ou seja, lenta e bastante sofrida. Que apodreça na cadeia, muito lentamente, seja ao final de sua vida – que desgraçou outras vidas – cremado e que suas cinzas sejam jogadas ao mais fétido chorume!

    (No próximo comentário vou “tratar” de ti, aroldinho)
    Alcino Carrancho
    (O Idiota Que Vibra Com o Gozo Alheio, Também)

  2. Olá, Aroldo!

    Há um brocardo português que reza: Quem te manda a ti, sapateiro, tocar rabecão?

    Consulta, ipsis litteris, no Google e verás o que quero explicar-te.
    Por três vezes cometes o mesmo erro quanto à palavra “establisment”. És parvo? Não consultas o “pai dos burros”? Não precisas? És o “dono da verdade”? Sabes tudo? Desprezas outras sabedorias? Deus no Céu e décio lima na Terra? Deus no Céu e sapo barbudo na Terra?
    Pensamento do dia: A minha mãe quando nasceu era uma mulher analfabeta. (Sapo Barbudo)
    Alcino Carrancho
    (O Parvo)

  3. Caro Aroldo, a extrema pobreza ainda continua e creio aumentou com os 14 milhões de desempregados da era PT dos últimos anos.

    Mais alguns motivos porque Lula já deveria estar preso…
    -Lula já foi eleito e incrimado num esquema de roubo de dinheiro público que culminou na morte de Celso Daniel e outras pessoas.
    -Lula no seu primeiro mandato em já foi flagrado na maior quadrilha de ladrões de dinheiro público – o mensalão em 2004.
    -No seu primeiro mandato entregou uma refinaria da petrobras recem construída pra Evo Morales.
    -Usou dinheiro dos trabalhadores brasileiros pra financiar ditadores, grupos e assassinos mundo afora.
    -Deu asilo a um assassino de pais de família italiano financiando sua estadia e proteção até hoje aqui no brasil.
    -Mandou a polícia federal em 2007 atras de 3 pugilistas cubanos que estavam fugindo da mira do fuzil de Fidel Castro e mando-os de volta a cuba como se fossem mercadoria de um dono.
    -Lula recebeu dentro do palácio do planalto Mahmoud Ahmadinejad, um carrasco déspota assassino que mata mulheres a pedradas em pleno séc. 21!

  4. Fica tranquilo, Aroldo Bernhardt!

    Quando prenderem o teu sapo barbudo, os advogados dele entram com um recurso ou algo parecido tipo habeas corpus dizendo que ele é inimputável por ser psicopata!

    Podes ficar com ele todinho para ti!
    Boa sorte!
    Vai com Deus e não chateies as pessoas normais!

    Alcino Carrancho
    (O Parvo)

  5. Pelo amor de Deus que o Professor intelectual ( Mais um que surge ) comentou sobre a bolsa de valores dando a insinuar que quem não aplica em ações não tem que comemorar a subida.

    Patético comentário. Acredito que o Sr. não entenda nem um pouco de economia e sim na área de Filosofia.. não comente sobre o que não entende.

    Procurei sobre o Sr. e vi que defende com unhas e dentes o Pior deputado do congresso de 2017, o pequeno e nada respeitável Décio Lima. ( Deve ter dado aula de Filosofia para os Filhinhos dele )

    Acredito que nem mereça resposta ou comentário sobre o texto, mas a parte da bolsa de valores é lamentável ler.

    LULA JÁ ERA !

Deixe uma resposta