Acordo UE-Mercosul, discussão internacional, manifestações, agronegócio e vizinhos: a crise na Amazônia

Foto: reprodução NASA

Acordo UE-Mercosul

O controverso acordo comercial entre União Europeia e Mercosul está ameaçado pelas políticas ambientais do governo Jair Bolsonaro. Alemanha, França e Irlanda afirmaram que podem votar contra o acordo, caso o Brasil não cumpra seus compromissos na área.

O presidente francês, Emmanuel Macron acredita que Bolsonaro “mentiu” sobre seus compromissos com o meio ambiente. Macron afirmou nesta sexta-feita, que sob essas condições, a França se opões ao acordo de livre comércio entre os dois blocos.

Com informações: Folha

Discussão internacional

Um porta-voz da primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel, afirmou nesta sexta-feira, que os incêndios na Amazônia são um situação urgente que deve ser debatida no encontro de cúpula do G7.

O encontro acontece neste fim de semana em Biarritz, na França.

Além de Merkel e Macron, Justin Trudeau, premiê canadense, também concorda com a posição dos líderes.

A Finlândia, que tem a presidência rotativa da União Europeia, afirmou nesta sexta-feira, que pretende encontrar uma forma de fazer o bloco banir a importação de carne brasileira por causa da devastação causada por incêndios na Amazônia.

“O ministro de Finanças Mika Lintila condena a destruição da floresta amazônica e sugere que a UE e a Finlândia devam urgentemente rever a possibilidade de banir as importações de carne bovina brasileira”, afirmou, em um comunicado, o Ministério das Finanças da Finlândia.

Manifestações

Nesta sexta-feira, diversos protestos pela preservação da Amazônia aconteceram em embaixadas brasileiras ao redor do mundo. Eles se reuniram em cidades como Londres e Berlim e levaram cartazes contra o desmatamento e as queimadas na floresta.

Além das capitais britânica e alemã, protestos também foram convocados em Mumbai, na Índia; Paris, na França; Berna, na Suíça; Dublin, na Irlanda; Madri, na Espanha; e Luxemburgo.

Presidente

Bolsonaro afirmou nesta sexta feira, que a “tendência” é de que o governo federal envie as Forças Armadas para combater incêndios na região amazônica.

Bolsonaro foi questionado por jornalistas na portaria do Palácio da Alvorada sobre ajuda do governo federal para combater as queimadas.

Um das primeiras respostas do presidente sobre a situação, foi a de que ONGs estariam por trás do aumento das queimadas. Declaração sem prova.

Com informações: G1

Vice-presidente

O vice-presidente, Hamilton Mourão, rebateu os comentários da França sobre a suposta “crise internacional” na Floresta Amazônica.

“A Amazônia brasileira está segura! Lá morei e sei que incêndios são episódicos em período de seca”, disse o general da reserva.

“Transformá-los em crise, esquecendo as tragédias que o fogo causou nos EUA e Europa, é má-fé de quem não sabe que os pulmões do mundo são os oceanos, não a Amazônia”, acrescentou Mourão.

Agronegócio

Integrantes do governo relataram ao blog do Gerson Camarotti, no G1 que, além desta forte reação internacional, a pressão interna do agronegócio brasileiro fez com que o Executivo mudasse de atitude em relação ao desmatamento e queimadas na Amazônia.

Depois de relativizar a questão ambiental durante meses, Bolsonaro foi alertado por interlocutores de que as exportações brasileiras podem ser afetadas, principalmente de produtos agropecuários.

Vizinhos

Na Bolívia, o governo do presidente Evo Morales, iniciou um plano para combater os focos de incêndio no lado boliviano da Amazônia. Entre os equipamentos usados, estão cinco aviões.

Um acordo com o Paraguai, que também sofre com os efeitos das queimadas, pode ampliar a atuação do combate às chamas promovido por Evo Morales . A Bolívia criou um gabinete de emergência ambiental comandado pelo vice-presidente, Álvaro García Linera.

Dados

As queimadas e o desmatamento do ecossistema vieram à tona após o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) divulgar dados que mostram um aumento de 82% nas queimadas, em relação ao mesmo período do ano passado.

2 Comentário

  1. Da “fogueira de vaidades”
    À “fogueira de verdade”,
    O que se ouve mundo afora
    É Bolsonaro, por favor, vá embora

  2. Tadinha da França… sendo dominada e escravizada pelo islâmismo terrorista e vem querer dar pitaco na Amazônia; uma região que SEMPRE houveram queimadas, até maiores nas gestões dos golpistas esquerdistas anteriores nos meses de AGOSTO! as fakenews contra este governo não param!
    https://g1.globo.com/natureza/noticia/2019/08/25/focos-de-queimada-na-amazonia-superam-a-media-historica-de-agosto-diz-inpe.ghtml

    A verdade oculta da Amazônia que o mundo fecha os olhos:
    https://anovademocracia.com.br/no-6/1269-o-imperio-das-ongs-e-o-loteamento-da-amazonia

Deixe uma resposta