A moral de Carlos Wagner, o Alemão, com o governador Moisés e vice versa

Imagem: Facebook/Reprodução

A curiosidade é da semana passada, me atrapalhei para publicar, mas é um fato que merece registro.

Na segunda-feira passada, 12 de julho, o vereador Carlos Wagner, o Alemão (PSL), publicou em suas redes sociais de um encontro que teve com o governador Carlos Moisés (sem partido) no sábado.

“Sábado tive a oportunidade de participar de uma longa reunião com o Governador e selecionadas lideranças de Santa Catarina. Como único representante de Blumenau, levantei uma série de questões de interesse da nossa gente, na qual ele se mostrou solícito em buscar atender. Seguiremos em frente buscando recursos para a nossa cidade. Os problemas a gente já conhece. Aqui nós vamos atrás da solução”, escreveu.

Menos de uma semana depois, na sexta-feira, 16, o governador Carlos Moises cumpriu agenda em Blumenau, mas Alemão não estava. Sua esposa testou positivo para o Coronavírus e ele cumpre o isolamento. Apesar disso, Moisés deu um jeito de passar na empresa Alumetal, de propriedade de Wagner, com direito a foto lá dentro e mensagem nas redes sociais.

Foto: Facebook Carlos Wagner

“O Governador, acompanhado da @andritata, visitou a empresa, conversou com nossos colaboradores e conheceu um pouco mais da nossa história: aquela de gente que acorda cedo, põe a “mão na massa” e faz as coisas acontecerem”, disse o Alemão nas suas redes.

E, também nas redes sociais, aproveitou para pegar carona com a recente vinda do governador, mesmo não estando no local.

Foto: Facebbok Carlos Wagner

2 Comentário

  1. Fazendo o papel que cabe a um vereador .

    Outros ficam fazendo projetos para isentar IPTU , armar professores e dando carteirada em agente do SETERB…falando nisto, o que o conselho de ética da Câmara fez com a atitude do vereador Tuca , o que o partido NOVO ( que de novo não tem nada) fez com o vereador ?

  2. O Alemão ainda vai surpreender aos que não acreditaram nele. Quem o conhece sabe que não é de muita lenga-lenga nem lero-lero.

Deixe uma resposta