A coragem do prefeito Mário ao dar fim na URB

Foto: Informe Blumenau

Para não voltar muito no tempo, há pelo menos 10 anos ouço e acompanho que a Companhia Urbanizadora de Blumenau é um buraco sem fundo. A empresa de Companhia Mista que tem a Prefeitura como principal acionista e cliente é ineficiente, funciona como cabide de empregos – tem 75 cargos comissionados – e é deficitária.

O assunto sempre esteve na pauta das campanhas eleitorais na última década, mas sem ninguém fazer nada até esta sexta-feira, 08, quando o prefeito Mário Hildebrandt (sem partido) anunciou a primeira etapa de sua reforma administrativa, focado na URB.

Ele foi duro na avaliação do trabalho desenvolvido, dizendo que ela não cumpre mais sua função.

A partir de segunda-feira, 11, todos os cargos comissionados e as funções gratificadas serão cortadas e os 567 funcionários serão desligados, garantindo o pagamento dos direitos trabalhistas.

A URB tem sete contratos ativos – roçadas e zeladorias de escolas são os principais – que serão descontinuados e substituídos num primeiro momento por empresas privadas contratadas em caráter emergencial. O prefeito garante que os valores contratados não podem ser superiores aos pagos hoje.

Hildebrandt reconhece que a cidade tem muito mato e pede paciência para a população, prometendo que a partir de abril a situação comece se normalizar.

Para entender um pouco mais da proposta da Prefeitura, veja o vídeo da transmissão ao vivo que o Informe Blumenau fez esta manhã.

A segunda parte da reforma administrativa, mexendo em secretarias, autarquias e fundações ficou para mais tarde, provavelmente os últimos dias de março.

Abaixo está um histórico feito pela Secretaria de Comunicação da Prefeitura.

A Companhia

Criada pela Lei Municipal nº 1.735, de 25 de maio de 1971, e oficializada na Junta Comercial na mesma data, a URB é uma empresa de economia mista e durante décadas teve um importante papel atendendo às demandas da Prefeitura de Blumenau nas áreas de pavimentação, construção civil, limpeza e manutenção das ruas da cidade.

Nos últimos anos a Urbanizadora vêm enfrentando uma série de dificuldades financeiras, como prejuízos contínuos, maquinário defasado, baixa produção e alto número de profissionais afastados.

No último mês de fevereiro, a URB registrou atrasos no pagamento do Vale Alimentação e em parte dos salários dos funcionários. Além disso, calcula-se que em, no máximo três meses, o pagamento de direitos trabalhistas também seria afetado. “Com isso, teríamos a necessidade de realizar novos aportes de recursos para a URB, o que geraria um problema com o fluxo de caixa da Prefeitura, afetando os serviços prestados à comunidade e colocando em risco a folha de pagamento dos servidores municipais”, argumenta Mario Hildebrandt.

Tais dificuldades vêm sendo remediadas com constantes aportes por parte da Prefeitura de Blumenau. Em 2013, por exemplo, o aporte foi de R$ 300 mil. Três anos mais tarde, em 2016, o valor passou para R$ 1,9 milhão e em 2018 chegou à R$ 4 milhões. Sem medidas imediatas, a projeção é de que o valor do aporte em 2020 possa chegar à R$ 20 milhões, custo duas vezes superior ao empenhado na reurbanização da Rua Bahia, por exemplo. Além disso, os valores também poderiam ser destinados a investimentos essenciais em áreas como saúde e educação.

Reforma Administrativa
A primeira etapa da reforma administrativa, apresentada nesta sexta-feira inclui ações imediatas e de curto prazo para garantir a redução de custos e otimização dos serviços de manutenção na cidade.

Entre as ações está a demissão dos comissionados e corte nas funções gratificadas. Uma equipe de intervenção também será criada para efetivar o deslizamento dos servidores efetivos da Urbanizadora, que terão todos os direitos trabalhistas, inclusive seguro desemprego, assegurados. Os servidores que atuam diretamente nas ruas, também serão indicados às empresas que serão contratadas a fim de facilitar as recolocações no mercado de trabalho.

Uma auditoria externa para detalhar a situação dos passivos e cuidar da extinção da empresa também está sendo contratada a fim de garantir mais transparência ao processo.

 

 

8 Comentário

  1. Coragem???
    Foi eleito para administrar bem os nossos impostos…NADA MAIS…
    Acho que quem já deveria ter ao menos proposto isso era a câmara de vereadores…
    é uma de suas funções fiscalizar o executivo…

  2. O prefeito solicitou a câmara um aporte de 15 milhões no mês de Fevereiro , aprovado de forma unanime pelos vereadores . Se a idéia do Prefeito era extinguir a URB , porque solicitou o aporte ?

    Todos sabemos que a URB sempre foi cabide de empregos de muitos vereadores e do executivo , empresa que em época de campanha eleitoral era a menina dos olhos de ouro. Todos sabemos que os prejuízos foram causados pelos políticos , todos sabem que esta empresa sempre foi deficitária , então porque os vereadores aprovaram mais 15 Milhões de aporte no mês de Fevereiro ?

    Antes de tudo , queremos os esclarecimentos , porque dizer que vai fechar para não haver mais prejuízo é fácil , quero ver esclarecer os prejuízos e aportes .

  3. A corda sempre arrebenta para o lado mais fraco, os servidores da URB pelo menos trabalhavam, dia a dia no sol e na chuva e grande maioria desses servidores celetistas ganhavam pouco, enquanto isso, os servidores efetivos de Blumenau sentados na estabilidade com seus super salários, acúmulos de gratificações e se aposentando integralmente bem acima do teto do INSS(só para comparação), ninguém tem coragem de falar nada sobre isso?
    É só verem a situação do ISSBLU(QUEBRADA), quero ver o prefeito ter CORAGEM de cortar/mudar isso.

  4. Coragem se o sr prefeito tivesse feito o que deveria ser feito “administrar”. A empresa e deficitária por causa dos contratos mal feitos a mando do 3 andar. O que acontece que até quando deu a prefa só fez passar a sua divida para a empresa.

  5. Parabéns prefeito, administrar também é tomar medidas impopulares, mas necessárias. Quanto aos empregados, e não servidores, já que era uma empresa pública, com certeza serão absorvidos por quem assumir os contratos. Novos tempos exigem novas atitudes.

  6. Inúmeras famílias sem emprego em Blumenau. Cidade que cheira a enxofre. Por que não criar uma autarquia, cortar comissionados e deixar enxuta. Vão pagar muito mais.para os terceirizadores de carne. Vocês vão ver o caos e a imigração.de famintos pois somente eles aceitarão as más condições r irregularidades.

  7. Não é publica, é mista . a parte pública era cabide de emprego dos vereadores e do terceiro andar da prefeitura . Mas agora quem paga a conta somos nós .Se isto é administrar , me diga o que não é .

  8. Essa política velha precisa acabar, os vereadores precisam fazer sua função que é fiscalizar as contas do município, não ganham todo esse salário pra ficar fazendo requerimentos, não é possível que aprovaram aportes desde 2013 para um empresa falida. VERGONHA.

Deixe uma resposta