A análise do debate que não terminou em Blumenau

O texto deste post foi sendo construído a  medida que o debate da ND TV Blumenau transcorria nesta noite de sábado. Na metade do segundo bloco, o candidato à reeleição Mário Hildebrandt passou mal, foi atendido e levado ao hospital para exames e o programa foi cancelado com a anuência de João Paulo Kleinübing (DEM). Sobre isso já falamos e vamos continuar acompanhando o estado de saúde de Hildebrandt.

Mas segue a análise até o momento da interrupção.

Um debate eleitoral na TV é um espaço midiático importante, simbólico, representativo, mas limitado. O debate em si não é decisivo, mas sua repercussão pelos candidatos pode ser potencializada dependendo da performance positiva ou, principalmente, negativa de um ou outro.

Somente com um debate no 1º turno, com 12 candidatos, a expectativa para o primeiro de dois debates no segundo turno era grande, e a fórmula do deste sábado da ND TV Blumenau ajudou para o enfrentamento de ideias e propostas, um verdadeiro “ping e pong”, pergunta, resposta e comentário, um seguido do outro.

Tempo integral nos CEIs, taxa de esgoto, mobilidade, Velha-Garcia, parceria público-privada, áreas de lazer, regularização fundiária, obras do BID, pontes do centro, gestão foram temas abordados pelos candidatos Mário Hildebrandt (Podemos) e João Paulo Kleinübing (DEM).

Kleinübing teve uma postura mais incisiva, normal para quem saiu atrás na primeira votação, buscando apontar pontos falhos da administração. Hildebrandt me pareceu mais preso ao script preparado para ele, pelo menos no primeiro bloco.

Se em alguns momentos percebi que Hildebrandt se atrapalhou um pouco, teve outros que Kleinübing me passava uma imagem um tanto quanto agressiva.

 

 

2 Comentário

  1. Debates e propagandas políticas ninguém assiste fora o mundo político e uma meia dúzia de gatos pingados, as pessoas querem ver o progresso da cidade e a ficha do candidato se é ou não suja é isso que importa. Debate sempre em qualquer pleito é a mesma coisa um atacando e outro tento que ficar escutando promessas que são infundadas pq o que está em segundo está desesperado e fica contanto fábulas.
    Se for fazer uma pesquisa de quem assiste a debate políticos ou propagadas políticas aposto que daria um índice bem baixo.
    Está na hora de ser revisto esses fatos pq ninguém aguenta mais estes estilos de campanha, se gasta uma fortuna com agências de marketing e com o horário político “gratuito” que de gratuito não tem nada.
    Blumenau apesar de toda pandemia e a dificuldade financeira que antes da pandemia já passava por vários fatores pela diminuição de repasse da união e do estado sempre conseguiu manter todos os serviços e fazendo obras essenciais para o crescimento da cidade.
    E é isso que todos nós pessoas que não estão no meio político vemos para dar continuidade de uma gestão e não debates e propagandas políticas.

Deixe uma resposta