Os três novos dispositivos do Google

Google anunciou suas novas apostas para continuar na briga no mercado de dispositivos. A empresa divulgou a nova versão de seu smartphone, o Pixel 3, e também um novo tablet e um novo automatizador de residências.

O Pixel 3 vem para concorrer contra outros celulares topo de linha lançados este ano, como Galaxy S9 e Note9, ambos da sul-coreana Samsung, e o novo iPhone XS, da Apple.

Já o Google Home Hub é um automatizador de residências que chega para aumentar ainda mais a fatia de mercado do Google nesse segmento, que hoje é liderado pela gigante Amazon.

No começo do evento, o Google anunciou avanços recentes que tem feito em questões como traduções, linguagem e inteligência artificial. Essas inovações vão ser aplicadas aos principais aspectos dos novos produtos, como a transcrição de ligações, que permite que o usuário interaja por escrito com uma ligação de voz, ou o recurso que permite responder e-mails de maneira mais eficiente, completando palavras e frases.

Pixel 3

Assim como no Pixel 2, um dos grandes diferenciais é a câmera do Pixel 3. O smartphone tem uma câmera traseira de 12 megapixels, mesma resolução de iPhone XS e o Galaxy S9. A diferença está na frontal, que conta com uma câmera extra (ambas mais potentes que a da Apple). A ideia da câmera dupla na frente é dar potência ao recurso “Group Selfie Cam”, que utiliza um ângulo maior para “capturar 184% mais da cena do que o iPhone XS”, disse a empresa durante a apresentação.

Há também aplicações de inteligência artificial às fotos tiradas. Com o novo recurso “Top Shot”, que tira várias fotos e mostra ao usuário a que ficou melhor, em que todas as pessoas estão sorrindo e de olhos abertos. O Pixel 3 também promete um zoom melhor no aparelho, além de melhor resolução em fotos com baixa luminosidade. Em termos de processador, o celular conta com o Snapdragon 845, o mesmo da família Galaxy S9.

Ao custo inicial de US$ 799 na versão menor, de 5,5 polegadas, e de US$ 899 no modelo XL, de 6,3 polegadas, o aparelho começa a ser vendido no dia 18 de outubro. O preço é maior que o do S9, mas menor que os custos dos novos iPhone. Não há previsão de venda no Brasil, assim como não teve venda do Pixel 2 por aqui. Em mercados emergentes, o Google está lançando aparelhos da família Android One, a exemplo do lançamento do Motorola One, na semana passada.

Google Home Hub

Depois que a Amazon atualizou seu automatizador com tela, o Echo Show, o Google também lançou o dele. O Google Home Hub vem ao mercado com um preço mais atraente: US$ 149, contra US$ 230 do Echo Show. Com uma tela de 7 polegadas, o Google afirma que o aparelho tem o “tamanho ideal para caber em qualquer canto da casa, mas também ser visto do outro lado do cômodo.”

A ideia é usá-lo para automatizar tarefas do dia-a-dia, como calcular principais rotas, checar o tempo ou conectá-lo a outros dispositivos inteligentes — mais de 10.000 compatíveis, segundo o Google. A empresa também enfatizou o uso do assistente na cozinha, onde seria possível utilizá-lo para checar receitas, por exemplo.

O aparelho não é feito para chat em vídeo, já que não tem câmera. Assim como o Pixel 3, o Home Hub não tem previsão de venda no Brasil.

Segundo a consultoria Strategy Analytics, o Google abocanhou boa parte do mercado que a Amazon tinha há um ano nesse segmento. Enquanto a Amazon vendeu 4 milhões de unidades no primeiro trimestre de 2018, um aumento de 102% em relação ao ano passado, o Google vendeu 2,4 milhões de aparelhos, alta de 709%. Atualmente, o Google tem 26,5% desse mercado, contra 43,6% da Amazon.

Pixel Slate

Funcionando com o sistema operacional Chrome OS, que amadureceu nos últimos anos, o aparelho marca a volta do Google aos tablets. O preço inicial do Pixel Slate é de US$ 599, mas pode evoluir até US$ 1.599, na versão com melhores processador, memória RAM e armazenamento.

A tela do aparelho tem 12,3 polegadas e tela LCD. A bateria pode durar até 10 horas. O tablet não conta com saída para fones de ouvido, a exemplo de um movimento que vem tomando conta de smartphones recentemente.

Nas versões melhores, o tablet funcionaria quase como um laptop e inclusive conta com uma opção de venda de teclado, que inclui até um touchpad (por US$ 199 extras). O Pixel Slate não tem previsão de venda no Brasil.

Fonte: G1/Google

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta