Vídeo: “o problema não são leitos de UTI, não é a medicação, o problema são as nossas ações, o abraço da morte”, diz diretor de hospital de Timbó

Foto: divulgação/ND

A fala de Richard Choseki, diretor do Hospital Oase de Timbó, em encontro na Câmara Municipal, ecoa na cidade e no Vale do Itajaí, e reflete uma realidade estadual e nacional.

Ao fazer um raio xis do hospital, falou do grande gargalo, que é a falta de profissionais para atuais nos hospitais. ” O problema não são leitos de UTI, não é a medicação, o problema é as nossas ações, o abraço da morte”, desabafou.

Lembrou que ainda não se sabe o tempo que esta pandemia vai perdurar, que não existe mão de obra no mercado, destacando que no fim de semana tiveram que recrutar profissionais de outras cidades e que os do dia dia a dia estão no limite.

Falou da curva ascendente do vírus, necessidades de medidas mais eficazes de restrição, economia x vidas, deu recados importante para alguns vereadores e para quem trabalha na contramão da ciência. Reclamou de posições negacionistas disseminadas nas redes sociais – “muito falatório, pouca ação” – e criticou parlamentares que alimentam este tipo de informação.

” Vamos criar vergonha na cara,  estamos vendo gente morrendo todos os dias, nosso pessoal tem que preparar corpos todos os dias, não estamos brincando lá dentro…”, desabafou em outro ponto.

Vale a pena ouvir e assistir, confira abaixo.

Nesta quinta-feira, a Câmara de Blumenau abriu sua tribuna livre para um médico ginecologista e obstetra que defende o tratamento precoce, usando os medicamentos que já foram descartados pela comunidade cientifica, relembre aqui. 

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta