Trump acusa Brasil de desvalorizar moeda e diz que vai retomar tarifas de aço e alumínio

Foto: reprodução

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusou nesta segunda-feira, 2, pelo Twitter, Brasil e Argentina de desvalorizarem suas moedas, e afirmou que vai retomar as tarifas de importação sobre o aço e o alumínio dos países sul-americanos.

“Brasil e Argentina têm presidido uma desvalorização maciça de suas moedas. O que não é bom para nossos agricultores”, escreveu Trump. Portanto, com efeito imediato, restaurarei as tarifas de todo o aço e o alumínio enviados para os EUA a partir desses países”.

Em agosto de 2018, Trump anunciou um alívio nas cotas de importação de aço e alumínio que excedam as cotas livres do pagamento das sobretaxas impostas pelo governo dos Estados Unidos em março do mesmo ano. A decisão de flexibilizar a tarifa atingiu as cotas de aço da Coreia do Sul, Brasil e Argentina e do alumínio da Argentina.

Desde então, as empresas americanas que comprarem aço do Brasil não precisam pagar 25% a mais sobre o preço original, caso comprovem falta de matéria-prima no mercado interno.

Resposta

Ao sair do Palácio da Alvorada, o presidente Bolsoanaro foi questionado por jornalistas sobre o assunto. Informou que conversará com o ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre as tarifas norte-americanas. Bolsonaro disse ter um “canal aberto” com Trump, que poderá ser usado nesse caso.

“Vou falar com o Guedes hoje. Alumínio? Vou falar com o Paulo Guedes agora. Vou conversar com o Paulo Guedes. Se for o caso, ligo para o Trump. Eu tenho um canal aberto com ele”, disse.

Indagado se é possível reverter o anúncio de Trump, Bolsonaro insistiu que falará primeiro com Guedes.

“Converso com o Paulo Guedes e depois dou uma resposta, para não ter que recuar”, afirmou.

O presidente Bolsonaro exibe a boa relação que tem com o presidente norte-americano, só que às vezes esquece que o “Make America Great Again” de Trump não é sobre o Brasil e que o mundo capitalista não é apenas um adorável clube de senhores conservadores.

I love tarifas?

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta