Tomate, batata e pão elevam inflação de Blumenau em maio

Foto: divulgação FURB

Os dados são do Departamento de Economia da FURB, órgão que faz este monitoramento econômico na cidade, e tem vários outros trabalhos e ações sociais importantes. O texto foi enviado pela assessoria de imprensa da Universidade.

Confira:

O Índice de Variação Geral de Preços de Blumenau registrou, em maio, uma variação na ordem de 0,92%, enquanto a variação acumulada nos últimos 12 meses ficou em 6,39%, segundo levantamento divulgado hoje pelo Departamento de Economia da FURB.
A variação do IVGP ficou acima do intervalo esperado, visto que a expectativa era uma variação entre 0,20% e 0,70%, informou o coordenador da pesquisa, o professor Jamis Antonio Piazza.
Os 580 itens pesquisados estão organizados em 25 subgrupos e as variações apresentaram a seguinte distribuição: 13 subgrupos registraram alta, 12 subgrupos permaneceram estáveis e nenhum variou negativamente.
Altas de destaque no mês: alimentos semi-industrializados (+2,68%), produtos de higiene (+2,39%) e materiais de construção (+1,93%).
Baixas de destaque no mês: nenhum subgrupo variou negativamente.
A expectativa para o próximo mês é de que a variação geral de preços no mês se mantenha dentro do intervalo +0,20% a +0,70%.
Para o 1º semestre de 2017, foram estabelecidos os seguintes cenários, considerando a variação acumulada nos últimos 12 meses:
Cenários para:
Junho 2017
Variação Estimada
Acumulado (12 meses)
Otimista    (média 0,40%/mês)
4,91%
Realista    (média 0,50%/mês)
6,17%
Pessimista (média 0,60%/mês)
7,44%
Sobre os Cenários estabelecidos para o 1º semestre de 2017 cabem algumas considerações adicionais, segundo Piazza:
– A taxa mensal equivalente ao acumulado dos últimos 6 meses subiu para 0,72%/mês. A taxa mensal equivalente ao acumulado nos 12 meses subiu para 0,52%/mês. Portanto, a inflação acumulada nos 12 meses, até dezembro de 2017 tende a configurar próximo do cenário realista, isto é, +6,17%.
Cesta básica
Em relação à Cesta Básica, o custo total atual é de R$ 350,22, o que significou uma variação de +6,71% no mês, e nos últimos 12 meses a variação acumulada é de (-5,20%). Considerando o reajuste do valor do salário mínimo em Jan/17, que foi de 6,48% e se comparado com o mesmo período do ano anterior, pode-se verificar que a relação entre o custo da cesta com o valor do salário mínimo melhorou em relação a 2016, pois esta relação era de 41,98% no mesmo período do ano passado e neste mês é de 37,38%.
Principais variações no custo da cesta no mês foram:
Altas: tomate (+25,00%), batata inglesa (+19,32%) e pão (+8,60%).
Baixas: óleo de soja (-10,30%).
Foto: divulgação FURB

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta