Qual será o efeito prático do encontro da Frente Parlamentar da Alesc em Blumenau?

Foto: Informe Blumenau

Talvez o fato mais importante da reunião da Frente Parlamentar em Defesa do Médio Vale do Itajaí da Assembleia Legislativa, nesta quinta-feira, 30, seja o efeito catarse, de botar para fora o que nos incomoda. As pessoas falam, extravasam, aparecem. Uns fingem que ouvem, outros nem disfarçam.

Mas confesso que fiquei incomodado. Não senti firmeza que nada de prático saia deste encontro.

A representatividade foi importante: dois secretários de Estado, três deputados estaduais ( tinha um quarto, Ismael dos Santos (PSD), que saiu no inicio), prefeitos, vereadores, lideranças empresariais, da segurança pública e a reitora da FURB Márcia Sardá. Cerca de 80 pessoas contei.

O prefeito de Blumenau, Mário Hildebrandt (sem partido), presidente da AMMVI, que sediava o encontro, apresentou uma extensa pauta, todas bem conhecidas: SC 108, hospital regional, obras na área de defesa civil, a defesa da bandeira pela duplicação da BR 470, entre outras.

Veja a pauta no vídeo abaixo.

As falas foram aquelas de sempre, para os mesmos.

Ou seja, as mesmas reivindicações, que nós estamos cansados de repetir. Agora, quem de diferente,  “que tem a caneta”, ouviu as reivindicações, de fato?

O deputado Ricardo Alba (PSL), presidente da Frente é, em tese, o interlocutor do Governo Carlos Moisés (PSL) na região. Mas conhece bem as pautas regionais.

Os dois secretários foram um capítulo a parte. O da Infraestrutura, o coronel do Exército Carlos Hassler, parecia incomodado e o de Educação, Natalino Uggioni, leu um extenso e chato relatório de prestação de contas, muitas viabilizadas e encaminhadas na gestão anterior.

Interessante é perceber que o mesmo Governo que vira e mexe lamenta da situação que encontrou o Estado, comemora o que os governos anteriores deixaram para ele. Natalino encheu a boca para falar do investimento de mais de R$ 10 milhões na nova escola da Itoupavazinha, aquela mesma que já está “praticamente” pronta faz tempo.

E o Coronel Hassler parecia não saber o que estava fazendo, suas explicações sobre o prolongamento da Via Expressa, a SC 108, foram confusos.

Ouviu calado que os prefeitos do Vale não se interessam, pelo menos do jeito que está, pela proposta do Governo de municipalizar a manutenção de algumas rodovias estaduais.

Fora eles, do Governo do Estado, mais um técnico da Defesa Civil estava presente.

Ou seja, “cacarejamos” nossos problemas e reivindicações para nós mesmos.

Politicamente, é assim que funciona, Por outro lado, talvez seja por questões políticas, que as coisas não funcionem.

Isso é dialético.

O vídeo abaixo talvez resuma o que quero dizer. O deputado Ivan Naatz (PV) critica a postura de Ricardo Alba (PSL), que sempre que deu, buscou valorizar as ações do Governo. ]

Não estou criticando Alba nem Naatz. Mas exemplifica muito o que essas Frentes Parlamentares acabam representando.

Falamos para nós, mais uma vez.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta