Primeiras doses da vacina da Oxford são aplicadas no Brasil neste sábado

Foto: Reprodução Globonews

A Fiocruz começou, neste sábado (23), as primeiras imunizações com a vacina da Oxford/AstraZeneca. Os primeiros vacinados foram os infectologistas Estevão Portela e Margareth Dalcomo.

A cerimônia ocorreu de forma simbólica, horas depois do desembarque de 2 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca no Rio.

O carregamento foi produzido no Instituto Serum, na Índia, e passou por um procedimento de análise de segurança na Fiocruz antes de ser liberado ao Ministério da Saúde, que vai distribuí-lo aos estados. até domingo (24).

Logo após ser vacinada, Dalcomo disse que o país poderá celebrar — de verdade — quando tiver uma cobertura vacinal significativa.

“Pensei que vai chegar um dia que realmente poderemos comemorar. Hoje é um dia simbólico. Nós vamos comemorar de verdade quando tivermos 70% da população vacinada”, disse Dalcomo.

A especialista aproveitou o momento para homenagear os profissionais da Saúde que “passam por momentos dificílimos” na linha de frente.

Ela repetiu que todas as vacinas aprovadas são seguras e estimulou a população a confiar na ciência.

“Qualquer movimento que desestimule a população ou as pessoas a não tomarem a vacina, que é a única solução capaz de interromper a cadeia de transmissão e controlar uma pandemia desta magnitude, está fazendo um desserviço, uma desumanidade. Algo injustificável. Considero os movimento anti vacina marginais e sem nenhuma possibilidade de defesa”, criticou.

Liberação das vacinas na Fiocruz

À noite e pela madrugada, após a longa viagem da Índia para o Brasil, as vacinas passaram por uma avaliação de temperatura para verificar se estavam nas condições perfeitas.

De manhã, as caixas foram etiquetadas. Cada uma delas tem 50 frascos e 500 doses de vacina.

Também nas primeiras horas deste sábado (23), o Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS/Fiocruz) coletou amostras para análise de protocolo e liberação do produto para o Programa Nacional de Imunizações (PNI) distribuí-la pelo país.

As vacinas de Oxford farão parte do PNI, que é coordenado pelo Ministério da Saúde e começou no dia 17 de janeiro com 6 milhões de doses da CoronaVac. Nesta sexta (22), outras 4,8 milhões de doses da CoronaVac foram aprovadas para uso emergencial no Brasil.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta