PGE e TSE se manifestam contrários a criação de partidos via assinaturas digitais

A pretensão do Presidente Jair Bolsonaro em criar um novo partido, o Aliança pelo Brasil, pode esbarrar na Legislação Eleitoral.

Na segunda-feira, o Ministério Público Eleitoral e a Procuradoria Geral Eleitoral se posicionaram de forma contrária as assinaturas digitais para formação de uma nova sigla, lembrando que a exigência atual é de que sejam colhidas quase 492 mil assinaturas em pelo menos nove estados da Federação.

A manifestação do MPE e da PGE não se refere ao partido que Bolsonaro quer criar e sim de um deputado do PP do Rio Grande do Sul.

O G1 traz reportagem nesta quarta-feira onde diz que alguns membros do TSE também são contra, pois “iria na contramão da tese de criar novos partidos”, lembrando que são mais de 35 siglas no país.

Ou seja, pelo encaminhamento, se Bolsonaro quiser mesmo criar uma partido, seus militantes terão que sair da Internet e colocar as mãos na massa, lembrando que o prazo para o partido ser criado a tempo de participar nas eleições municipais é 4 de abril de 2020.

Destacando que, em apenas três dias depois de ter o nome lançado, a Aliança pelo Brasil conquistou mais de 600 mil seguidores nas redes sociais.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta