Pesquisa eleitoral da RICTV/MAPA em Florianópolis ainda em stand by

imagem:ndonline.com.br

O juiz eleitoral Vitoraldo Bridi, que atua na capital, não concedeu liminar a campanha de Ângela Amim (PP), pedindo a não divulgação da pesquisa do Instituto Mapa, contratada pela RICTV Record de Florianópolis. Mesmo assim, com a decisão judicial, a emissora decidiu pela segunda vez em dois dias, não divulgar os dados. Tem até amanhã para apresentar os dados referentes ao questionamento judicial.

A nota oficial da RICTV Record Florianópolis está aqui.  

Os argumentos da campanha de Ângela, principal adversária de Gean Loureiro (PMDB) na corrida à Prefeitura da capital, é a falta de registro da área de abrangência dos bairros onde o levantamento será feito. O juiz Vitoraldo Bridi concorda, mas aponta que o instituto tem até sete dias após o registro para complementar os dados e por isso decidiu por não conceder a liminar. Pelos meus cálculos, o prazo para a entrega destes dados venceu nesta terça.

A sentença está aqui.

Os números da pesquisa não se sabe oficialmente, mas o colega Roberto Azevedo, um dos principais jornalistas políticos de Santa Catarina, divulgou na sua página do Facebook  que Gean estaria com 49,3% e Ângela Amim 27,5%, com base nos votos válidos, apontando uma possibilidade forte da decisão lá sair em primeiro turno.

Gean Loureiro concorre na capital com o apoio do PSDB, que tem o vice na chapa.

Coloco esta informação pois os tucanos daqui ainda contestam, nos bastidores, a pesquisa do Mapa em Blumenau, que deu Jean Kuhlmann (PSD) na frente de Napoleão Bernardes (PSDB) com pouco mais de quatro pontos percentuais de vantagem.

Lá em Florianópolis o questionamento é do PP, que imagina que o Mapa e a RICTV estejam favorecendo a chapa que o PSDB está junto.

Aqui é o contrário.

Assim é pesquisa. Amor e ódio.

Hoje ou no máximo amanhã deve sair a sentença definitiva da Justiça Eleitoral.

imagem:ndonline.com.br
imagem:ndonline.com.br

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta