Para Lamounier, a eleição caminha para o centro


Prisão em segunda instância

Para falar sobre política, precisamos falar sobre justiça.
Está na pauta desta quarta-feira (11), na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, a discussão do projeto que torna explícita a prisão imediata de alguém condenado em segunda instância.

O autor do projeto é o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) e foi apresentada depois do imbróglio da prisão do Lula.
O problema é que tem gente lá que não gostaria de discutir tal matéria.

E provavelmente não vão!

Fake news contra Bolsonaro

A corrida por votos ganha a cada ano uma dimensão cada vez mais digital.
As chamadas fake news chegaram para atrapalhar o processo – que já era complicado.

A “vítima” da vez foi Jair Bolsonaro.
A sua campanha detectou o movimento de adversários espalhando pelas redes sociais e pelo whatsapp a falsa notícia de que se eleito, Bolsonaro diminuiria o salário mínimo para R$ 250,00.

Notícia falsa!

MDB entra na disputa pelo PP

A corrida por apoios para a próxima eleição está cada vez mais apertada.
Quem entrou na disputa para “conquistar” o PP foi o MDB do pré-candidato Henrique Meirelles.
Segundo o Valor, Henrique Meirelles já teve ao menos uma conversa com o presidente da legenda, Ciro Nogueira, e ganharia, entre outras vantagens, 52 segundos de tempo de TV com a aliança.
Lembrando que o PP também é cobiçado por Alckmin e Ciro.

Convenção do MDB ao 45 do segundo tempo

O partido fará sua convenção no dia 4 de agosto, o prazo final é 5.
A estratégia deve ser uma tentativa de ajudar Meirelles, pra ver se ele sai de 1% e convence que é um candidato viável.

Informações: BR18

Análise de Bolívar Lamounier para o Estadão Notícias

Na edição desta terça-feira, 10, do estadão Notícias da Rádio Eldorado/Estadão, o cientista político e sociólogo Bolívar Lamounier disse que o deputado Jair Bolsonaro, não vai sustentar o atual patamar que as pesquisas têm indicado.

“Essa eleição não tem uma candidatura natural. Apesar disso, eu acho que ela tenderá para o centro, tenderá a ser convergente, e não divergente, não polarizadora. Porque, de um lado, eu acho que o Bolsonaro dificilmente se sustentará no patamar em que se encontra. Ele tem um minúsculo tempo de televisão, não tem um partido forte, então creio que não conseguirá ser um dos polos. Do outro lado, o Lula pode evidentemente transferir uma boa quantidade de votos para o Haddad, por exemplo. Pode até ultrapassar o Ciro.
Mas seria um polo só, uma perna só, uma espécie de um avião voando com uma asa só. Tudo isso me faz pensar que a eleição gradativamente vai caminhar para o centro, reunindo partidos como o MDB, PSDB, a Marina, e o DEM”, avaliou.

Informações: Estadão

Josué de Alencar acena para Ciro

A Coluna Painel de Daniela Lima na Folha informou que, para se afastar de Bolsonaro, aliados de Josué Alencar (PR) avisaram que ele aceitaria ser indicado a vice de Ciro (PDT) na disputa pelo Planalto.

Segundo a Folha de S.Paulo, a ideia deu esperanças aos partidos do centro.

O problema é que Valdemar Costa Neto não vai com a cara do Ciro.
O chefe do PR tende a fechar com Bolsonaro.

Vamos aguardar

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta