Fevereiro Laranja reforça prevenção à leucemia

Foto: reprodução

Febre, gripe, fadiga, dificuldade respiratória e dores no corpo são sintomas iniciais de leucemia. Como são comuns a outras doenças menos graves, o diagnóstico precoce torna-se difícil. O Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima que o Brasil registre 10,8 mil novos casos de leucemia todos os anos. Este tipo de câncer não escolhe faixa etária nem sexo. As causas ainda não são completamente conhecidas. Por isso, o Fevereiro Laranja ganha força como mês de prevenção.

“Existe muita confusão também. Há uma lenda de que anemia evolui pra leucemia e isso não é verdade, em hipótese alguma. A anemia pode ser um sintoma da leucemia, mas não evolui para outra doença”, esclarece a médica hematologista Andrezza Medina, com a experiência de quem trabalhou por uma década nos principais hospitais de São Paulo.

Hoje, Andrezza atua em Blumenau, no Hospital Santa Catarina, no Hemosc e em consultório próprio, além de lecionar na Furb. Ela explica que a leucemia é uma deficiência da medula óssea, quando células doentes substituem as saudáveis e danificam as defesas naturais do organismo. Para o correto diagnóstico da doença, é feito o hemograma, bem como mielograma ou biópsia. 

Doação de medula salva vidas

O tratamento da leucemia passa por quimioterapia, imunoterapia, radioterapia ou transplante de medula óssea. Este é o 9º tipo de câncer mais comum entre homens e o  11º entre mulheres. Para aumentar a chance de salvar um paciente, é fundamental que os bancos de sangue tenham um vasto cadastro de doadores de medula óssea. Em Blumenau, basta ir ao Hemosc e se voluntariar. 

No Hemosc, a equipe colhe 5ml de sangue para análise. Os dados vão para o Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome), que é o terceiro mais completo do mundo. As chances de salvar uma vida com este tipo de transplante é de 30% entre parentes e cai muito entre não-aparentados. As características genéticas precisam ser compatíveis para que a doação tenha sucesso. Portanto, quanto mais doadores, maior a chance de salvar vidas.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta