O país de olho na Esplanada dos Ministérios

Moro ministro, Moro presidente

O juiz Sérgio Moro aceitou o convite de Jair Bolsonaro para ser ministro do “superministério” da Justiça. Moro já foi capa do jornal “O Estado de São Paulo”, em que afirmava que não entraria para a política.

Segundo o Valor, o juiz teria sido convidado para o novo governo, por Paulo Guedes, ainda durante a campanha de Jair Bolsonaro, afirmou o vice-presidente, Hamilton Mourão.

Ainda segundo a Mônica Bergamo, já circula no núcleo duro de Bolsonaro, que Sérgio Moro pode ser candidato a presidente em 2022.

Agricultura e Meio Ambiente

Jair Bolsonaro, em entrevista a emissoras católicas, disse que “pelo que tudo indica, serão dois ministérios distintos”, se referindo a Agricultura e Meio Ambiente. A fusão das pastas têm causado polêmicas. A escalação dos ministros deste novo governo tem recebido atenção da sociedade como nunca visto. Por dois pontos, a expectativa pela confiança dada nas urnas e pela facilidade das redes sociais.

Aborto

Na mesma entrevista, Bolsonaro também foi questionado sobre possíveis mudanças nas leis sobre aborto. Disse que vetaria um projeto que ampliasse as possibilidades legais de interrupção da gravidez, caso fosse aprovado pelo Congresso.

Ministros confirmados

Paulo Guedes, economista, será o ministro da Economia; Onyx Lorenzoni, médico veterinário e deputado federal, assumirá a Casa Civil; General Augusto Heleno, militar do Exército, hoje na reserva, no Ministério da Defesa; Marcos Pontes, tentente-coronel e astronauta no Ministério da Ciência e Tecnologia e Sérgio Moro, juiz federal, no Ministério da Justiça.

Embaixada Brasileira

Em entrevista ao jornal israelense “Israel Hayom”, Jair Bolsonaro afirmou que vai transferir a embaixada brasileira de Tel Aviv para Jerusalém. Ele também adotou uma postura dura com a Palestina, dizendo que não a reconhece como um país. Bolsonaro segue os passos dos Estados Unidos e Guatemala.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta