O discurso do presidente diplomado

O presidente eleito Jair Bolsonaro foi diplomado pelo Tribunal Superior Eleitoral nesta segunda-feira (10).

Em seu discurso, agradeceu a Deus, por estar vivo e pela missão de estar à frente do Executivo.

Falou sobre as novas tecnologias, ferramenta muito usado durante a sua campanha.

“O poder popular não precisa mais de intermediação. As novas tecnologias permitiram uma relação direta entre o eleitor e seus representantes.”

Afirmou que governará para todos, sem distinção. Agradeceu seus mais de 57 milhões de votos e pediu “confiança” dos que escolheram outros candidatos.

“Agradeço aos mais de 57 milhões de brasileiros que me honraram com o seu voto. Aos que não me apoiaram, peço a confiança para construirmos juntos um futuro melhor para o nosso país”, disse.

“A partir de 1º de janeiro serei o presidente de todos, dos 210 milhões de brasileiros. Governarei em benefício de todos sem distinção de origem social, raça, sexo, cor, idade, ou religião”, declarou.

Elogiou a atuação do Tribunal Superior Eleitoral e afirmou que o povo escolheu seus governantes “em eleições livres e justas”.

Ressaltou que o Brasil é “uma das maiores democracias do mundo” e que seu compromisso com a “soberania do voto popular é inquebrantável”.

“Nós brasileiros devemos nos orgulhar dessa conquista. Em um momento de profundas incertezas em várias partes do globo somos um exemplo de que a transformação pelo voto popular é possível”, afirmou.

“Não mais à corrupção, não mais à violência, não mais às mentiras, não mais manipulação ideológica, não mais submissão do nosso destino a interesses alheio, nãos mais mediocridade complacente em detrimento do nosso desenvolvimento”, declarou.

Ainda em seu discurso, Bolsonaro citou que a “pauta histórica” da população contempla “segurança pública e combate ao crime, igualdade de oportunidades com respeito ao mérito e ao esforço individual”.

“Sempre no marco da Constituição Federal, nosso dever é transformar esses anseios em realidade”, disse.

“Nossa obrigação é oferecer um Estado eficiente que faça valer a pena os impostos pagos pelos contribuintes. Nossa obrigação é garantir que os brasileiros regressem aos seus lares em segurança após um dia de trabalho. Nosso dever é oferecer condições para que o empreendedor crie empregos e gere renda ao trabalhador”, acrescentou.

Bolsonaro toma posse no dia 1º de janeiro de 2019.

Da redação, com informações do G1

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta