MPF acusa futuro ministro do Meio Ambiente por abuso de poder econômico

Coaf

O relatório do Coaf (Conselho de Controle das Atividades Financeiras), que apontou movimentação atípica do ex-assessor do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL), mencionou também auxiliares de outros 20 deputados estaduais do Rio de Janeiro.

Fazem parte da lista assessores de vários campos ideológicos, entre eles, Márcio Pacheco (PSC) e Eliomar Coelho (PSOL).

Com informações da Folha.

Começou bem

Ricardo Salles, o futuro ministro do Meio Ambiente do governo Bolsonaro, foi acusado nesta terça-feira (11), pelo Ministério Público Federal, de abuso de poder econômico e uso indevido de meios de comunicação nas eleições de 2018. O MP pede a inelegibilidade dele por oito anos.

Lula

José Múcio Monteiro tomou posse na presidência do Tribunal de Contas da União. E quem ele bajulou em seu discurso? Lula! Sim, o ex-presidente.

A “ideia” ainda sobrevive em alguns cantos.

DNIT

Segundo a Revista Crusoé, o general Antonio Leite dos Santos Filho deve ser anunciado nos próximos dias como presidente do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).

Sai o PR, que sempre comandou a autarquia federal e entra o general. Lembrando que o PR é o partido do mensaleiro Valdemar Costa Neto.

Dilma

Segundo a Folha de S. Paulo, a defesa da ex-presidente Dilma Rousseff “apresentou petição à Justiça dizendo que ela está à integral disposição para prestar qualquer esclarecimento ou ser ouvida sobre qualquer processo ou investigação criminal”.

O medo é de que Dilma possa ser presa se a justiça aplicar medidas cautelares mais drásticas, em consequência da delação do “companheiro” Palocci.

Medo

Em entrevista ao Valor, Fernando Haddad (PT), disse que o general Hamilton Mourão é “um jogador do banco de reserva que está no aquecimento antes de começar o jogo”.

E concluiu: “Para o bem da democracia, temos que prestar atenção”.

Devemos temer? Ou é só mais um “terrorismo” dos derrotados?

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta