Mais uma presidência em jogo

Reunião Ministerial

Acontece hoje (03), a primeira reunião ministerial com o presidente Jair Bolsonaro e toda a sua equipe de governo. Segundo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, a reunião servirá para discutir um cronograma de anúncios das medidas que serão colocadas em prática pela nova administração.

Oficialmente chamado de Conselho de Governo, o grupo é composto por Bolsonaro, pelo vice-presidente, general Hamilton Mourão, pelos 22 ministros de Estado e pelo chefe de gabinete da Presidência.

Petrobras

Roberto Castello Branco, o novo presidente da Petrobras toma posse hoje (03). Paulo Guedes, ministro da Economia estará presente. Castello Branco teve seu nome aprovado pelo conselho de administração no dia 22 de dezembro.

Economia

“O primeiro pilar é a reforma da previdência, o segundo são as privatizações aceleradas e, o terceiro pilar é a simplificação, redução e eliminação de impostos”, declarou Paulo Guedes, ministro da Economia durante seu discurso de posse.

Presidência da Câmara

Segundo o Blog da Andréia Sadi, depois do anúncio de apoio do PSL à candidatura de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à presidência da Câmara, a esquerda reagiu e passou a costurar uma candidatura de oposição.

PSOL já colocou à disposição o nome do deputado eleito Marcelo Freixo (RJ). Há inclusive, conversas com PT, PCdoB e PDT para tentar consolidar uma chapa contra Rodrigo Maia.

Até agora, Maia contava com o apoio de parlamentares da esquerda, mas o anúncio do partido de Bolsonaro à candidatura dele irritou parte dos deputados.

Ao todo, PT, PCdoB, PDT e PSOL elegeram 103 deputados.

Mas segundo O Globo: “ao PT interessa apoiar o candidato vitorioso para ter espaço na Mesa Diretora e em comissões de destaque”, no caso, Rodrigo Maia.

“Despetização”

Onyx Lorenzoni cumpriu a promessa de “despetizar” a Casa Civil. Está no Diário Oficial:

“Os ocupantes no âmbito da Casa Civil da Presidência da República em 31 de dezembro de 2018 de cargos em comissão ou funções de confiança de nível hierárquico igual ou inferior ao nível seis do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores – DAS ficam exonerados ou dispensados.”

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta