Luciano Hang é convocado para depor na CPMI da Fake News

Foto: Facebook pessoal

A recente crise envolvendo o PSL nacional e o clã Bolsonaro deixou clara a disseminação de notícias falsas nas redes sociais na última campanha eleitoral. É lógico que não foi apenas este lado que usou de fake news, mas sem dúvida o time do PSL – em especial o filho mais novo do presidente – colocou esta estratégia em outro patamar.

Com dois filhos do presidente presentes – o agora líder Eduardo e o senador Flávio – aconteceu nesta quarta-feira, 23, a primeira audiência da CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito, na Câmara e no Senado) com a aprovação de 66  convites ou convocação para depoimentos.

Entre eles, o empresário Luciano Hang, dono da Havan e ativista de corpo e alma nas redes sociais em defesa do então candidato Jair Bolsonaro.

Além dele, foram convocados o também empresário Paulo Marinho, suplente de Flávio Bolsonaro, o secretário de Assuntos Internacionais do governo, Filipe Martins, o secretário de Comunicação da Presidência, Fábio Wajngarten, além de blogueiros ligados ao governo.

Os ex-líderes Joice Hasselmann e Delegado Waldir, que nos últimos dias tem disparado contra o presidente e seus filhos foram “convidados”, ou seja, podem ou não comparecer.

Nas eleições do ano passado, surgiram denúncias de que empresas apoiadoras do então candidato Bolsonaro teriam comprado pacotes de disparos de mensagens para difamar o candidato do PT, Fernando Haddad.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta