Léo Pinheiro reafirma acusações contra o ex-presidente Lula e diz que não houve coação para mudar declarações

Delação

Léo Pinheiro, ex-executivo da OAS, reafirmou as acusações que fez contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e disse que não houve coação para mudar suas declarações e conseguir o acordo de delação.

Pinheiro enviou uma carta ao jornal Folha de S.Paulo, divulgada nesta quinta-feira (4).

É a primeira vez que ele fala com a imprensa desde que foi preso em 2016. Pinheiro foi uma das principais testemunhas do processo do triplex do Guarujá (SP), que levou à prisão do ex-presidente. Segundo o ex-executivo, suas declarações foram endossadas por provas.

Com informações da Folha e R7

Apelo de Bolsonaro

Em um café da manhã com a bancada ruralista, no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro afirmou hoje que policiais militares, federais e rodoviários federais “nunca tiveram privilégios” no Brasil.

Bolsonaro fez um “apelo” ao “bom senso” dos integrantes da Frente Parlamentar da Agropecuária para que aprovem no projeto de reforma da Previdência condições mais brandas de aposentadoria para as polícias – o texto pode ser votado nesta quinta em uma comissão especial da Câmara.

Fonte: G1

Acordo

Mauricio Macri afirmou que a Argentina e o Brasil estão negociando um acordo de livre comércio com os Estados Unidos, de acordo com jornais argentinos.

O presidente do país vizinho afirmou isso durante um evento para celebrar o dia das pequenas empresas nesta quinta (4).

Horas antes, o ministro das Relações Exteriores, Jorge Faurie, havia dito que havia a possibilidade de avançar em um pacto com o governo de Donald Trump.

Fonte: G1

Resumo do Brasil: Léo Pinheiro afirma que não houve coação para mudar declarações, o apelo de Bolsonaro e o acordo Argentina-Brasil-EUA.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta