Impeachment fora do radar, o pacto dos três poderes e a análise da MP que reestruturou o governo federal

Foto: Antonio Milena/VEJA

Impeachment fora do radar

Já se pode escutar por aí a palavra impeachment, mas segundo Mônica Bergamo da Folha, o assunto não está no radar do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que comanda as pautas do parlamento. Maia já afirmou a interlocutores que, se os deputados pregam o fortalecimento das instituições, não podem recorrer a atalhos antidemocráticos, tentando criar um ambiente “sem base” para o impeachment.

Diferente de Temer na época, Mourão não inspira confiança no universo político para assumir o cargo. Semipresidencialismo também está fora de cogitação.

Pacto dos três poderes

Em um encontro nesta terça-feira (28) na Alvorada, os presidentes Jair Bolsonaro (Executivo), Rodrigo Maia (Câmara), Davi Alcolumbre (Senado) e Dias Toffoli (STF) resolveram assinar um pacto a favor das reformas em 10 de junho.

O pacto prevê união dos esforços entre os três poderes em torno de uma agenda com cinco pontos: reformas da Previdência, reforma tributária, pacto federativo, segurança pública e desburocratização.

Senado analisa hoje MP que reestruturou o governo

Será analisada pelo Senado nesta terça-feira (28) a medida provisória editada pelo presidente Bolsonaro que reestruturou o governo federal.

A MP está em vigor desde 1º de janeiro e precisa ser aprovada pelo Congresso e sancionada por Bolsonaro até o próximo dia 3 de junho, quando perde a validade.

Se os senadores mantiverem o texto da Câmara, a medida provisória seguirá para sanção de Bolsonaro. Se houver mudanças, os deputados terão de analisar o texto novamente.

Não há, contudo, consenso entre os parlamentares sobre o texto a ser aprovado. Com isso, deverá ser decidido no voto, por exemplo, o destino do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

Com informações do G1

Resumo do Brasil: impeachment fora do radar, o pacto dos três poderes e a análise da MP que reestruturou o governo federal.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta