Hospital Santa Isabel se aproxima da marca de 3500 transplantes realizados

Foto: HSI/Reprodução

Desde 1980, quando o Hospital Santa Isabel realizou o primeiro transplante de órgãos – um procedimento renal, já são aproximadamente 3490 cirurgias do tipo na instituição. O avanço das técnicas da medicina e a organização de entidades como a SC Transplantes, criada e credenciada em 1999, contribuiu para o fortalecimento e crescimento do serviço no Vale do Itajaí. O HSI é reconhecido como uma das instituições que mais realiza transplantes de órgãos no Brasil, e todos são totalmente custeados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A doação acontece mediante a autorização da família de um paciente que teve a morte encefálica diagnosticada. No Brasil, a média de recusa pela doação é de 40%. Em Santa Catarina, a porcentagem cai para 27 e Blumenau se mantém abaixo dessa média, com 17% de recusa dos familiares. Esses dados são possíveis graças à solidariedade das famílias que, mesmo neste momento de pandemia, com visitas restritas ao paciente, mantiveram o coração aberto para a doação de órgãos. É esse sim que salva vidas! Num ano de tantas tragédias, nos resta agradecer aos que abriram o coração e permitiram que os órgãos de seus entes queridos fossem doados. Essa é uma oportunidade de salvar vidas, já que um doador pode beneficiar várias pessoas, dando aos pacientes da fila de espera a oportunidade de casar e formar uma família, ou ver os netos crescerem, dando novas chances de vida.

Todos os anos, próximo ao Dia Nacional da Doação de Órgãos – 27 de setembro, o Hospital Santa Isabel realiza ações de conscientização sobre a importância de dizer sim quando a equipe apresenta à família a possibilidade de doação de órgãos. Este ano, porém, por conta da necessidade de manter o distanciamento social, o HSI optou por realizar ações singelas de conscientização e agradecimento. Em 2020, não podemos realizar ações de conscientização que aglomerem de pessoas, mas continuamos entregando o melhor de nós para salvar vidas, graças à solidariedade das famílias.

Fonte: Comunicação HSI

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta